Nota sobre a utilização do "trapping method" no estudo das diatomáceas epipélicas do manguezal de Ratones - Florianópolis - SC

Roselane Laudares-Silva, Juliana Maria Cimardi

Resumo


Foram feitas coletas de sedimento, em baixamar, no manguezal de Ratones, localizado em Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. Para separar as diatomáceas epipélicas do sedimento, utilizou-se, com algumas modificações, o "trapping method" descrito por EATON & MOSS, 1966. Registrou-se a migralção para o tecido de celulose usado como armadilha, de representantes dos seguintes táxons infra-genericos: Amphota angusta Greg. var. ventricosa (Greg.) Cleve, Amphiprora alata (Ehr.) Kütz., Diploneis gruendleri (A. Schmidt) Cleve, Diploneis smithii (Bréb.) Cleve, Gyrosigma eximium (Twaites) Boyer, Navicula cf lindae Sullivan & Reimer, Nitzschia closterium (Ehr.) Wm. Smith, N. fasciculata (Grun.) Grun., N. granulata Grun., N. obtusa Wm. Smith var. scalpelliformis Grun., N. panduriformis Greg. var. minor. Grun., N. sigma (Kütz.) Wm. Smith var. rigida (Kütz.) Grun.

Palavras-chave


Diatomáceas epipélicas; diatomáceas de manguezais; ecossistema Manguezal.

Texto completo:

PDF/A


Insula - Universidade Federal de Santa Catarina - Departamento de Botânica - Centro de Ciências Biológicas - Campos Universitário - Trindade - CEP 88040-900 - Florianópolis - SC – Brasil.

ISSN print 0101-9554
ISSNe 2178-4574