A política de saúde portuguesa na austeridade: um olhar do Serviço Social

Autores

  • Jorge Lopes da Costa Universidade de Lisboa Instituto de Ciências Sociais e Politicas Grupo de Investigação em Serviço Social
  • Carla Pinto Professora Auxiliar no Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas (ISCSP) da Universidade de Lisboa
  • Maria Irene Carvalho Professora no Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas (ISCSP) da Universidade de Lisboa

DOI:

https://doi.org/10.1590/1982-02592017v20n2p282

Palavras-chave:

Serviço Social, Políticas de saúde, Crise financeira, Assistentes Sociais da saúde

Resumo

A intervenção externa do Banco central europeu, da Comissão europeia e do Fundo monetário internacional em Portugal, entre 2011 e 2015, envolveu importantes cortes orçamentais na área da saúde. Este artigo pretende identificar essas alterações através da experiência do Serviço Social no sistema de saúde português, situando as suas atribuições na estrutura formal e explicitando em que medida condicionaram o trabalho dos assistentes sociais durante o período de interferência internacional.

Biografia do Autor

Jorge Lopes da Costa, Universidade de Lisboa Instituto de Ciências Sociais e Politicas Grupo de Investigação em Serviço Social

Universidade de Lisboa
Instituto de Ciências Sociais e Politicas

Grupo de investigação em Serviço Social

Carla Pinto, Professora Auxiliar no Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas (ISCSP) da Universidade de Lisboa

Doutorado em Política Social pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas (ISCSP) da Universidade de Lisboa

Maria Irene Carvalho, Professora no Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas (ISCSP) da Universidade de Lisboa

Doutorado em Serviço Social pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas (ISCSP) da Universidade
de Lisboa

Downloads

Publicado

2017-06-29