Identidade profissional: representações sociais de assistentes sociais chilenas em tempos de ditadura

Paula Andrea Opazo-Valenzuela, Carmen Gloria Jarpa-Arriagada

Resumo


O artigo examina as representações sociais de assistentes sociais chilenas sobre o exercício profissional em organismos de defesa dos direitos humanos no período da ditadura cívico-militar chilena. Especificamente, foram analisados os componentes centrais na construção de sua identidade profissional. O estudo é qualitativo e tem como estratégia de coleta de dados a história de vida temática. Os principais achados indicam que os componentes centrais na construção de identidade profissional são a formação profissional, a ética e o exercício profissional condicionado pelo contexto sócio histórico. O resultado revelou uma representação social do Serviço Social comprometido com a defesa dos direitos humanos como um lugar próprio, onde o empoderamento dos sujeitos populares foi uma característica principal da cultura de trabalho representada pelas assistentes sociais entrevistadas.

Palavras-chave


Identidade profissional; Serviço Social; Direitos humanos; Representações sociais

Texto completo:

PDF/A (Español (España))


DOI: https://doi.org/10.1590/1982-02592018v21n1p168

R. Katál. Florianópolis, Santa Catarina, Brasil eISSN: 1982-0259  

Licença Creative Commons Adota a Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.