Neokeynesianismo e neodesenvolvimentismo: expressões ideológicas do Estado neoliberal

Vanda Micheli Burginski

Resumo


Este artigo explicita que tanto o neokeynesianismo quanto o neodesenvolvimentismo da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL) se constituem em expressões ideológicas do Estado neoliberal ao compactuarem com um Estado forte que regule e facilite o funcionamento do mercado, respaldando a abertura dos serviços públicos à concorrência e à primazia do mercado na orientação das políticas sociais. Para tanto, realizou-se aproximações sucessivas ao conteúdo de relatórios com recomendações do Banco Mundial e da CEPAL, evidenciando que o Estado é acionado para atender as requisições do capital e viabilizar as transformações em curso. Nessa direção, o Estado neoliberal não é só uma realidade econômica, mas também política, social e cultural e, portanto, aciona ideologias, que outrora foram antagônicas, para ampliar as formas de dominação e dependência entre os países.


Palavras-chave


Estado; Neokeynesianismo; Neodesenvolvimentismo; Neoliberalismo; Política Social

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.1590/1982-02592018v21n2p406

R. Katál. Florianópolis, Santa Catarina, Brasil eISSN: 1982-0259  

Licença Creative Commons Adota a Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.