Renda mínima e proteção social: aspectos históricos, teóricos e conjunturais

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/1982-02592019v22n1p110

Palavras-chave:

Renda mínima, Proteção social, Capitalismo, Países centrais, América Latina

Resumo

Este trabalho busca analisar a trajetória dos programas/propostas de renda mínima e a sua relação com os padrões de proteção social, considerando os aspectos históricos, teóricos e conjunturais. Para tanto, utilizou-se a pesquisa bibliográfica como recurso metodológico para identificar e conhecer as informações e discussões, que foram analisadas à luz da perspectiva crítico-dialética. Assim, procura demonstrar que as propostas e os programas surgem e ampliam-se em determinados contextos como forma de contribuir com a reprodução material da força de trabalho e principalmente do capital. A criação dessas estratégias envolve a participação de sujeitos com distintas posições teóricas e ideopolíticas. Nos países centrais, elas têm sido construídas articuladas aos Estados de Bem-Estar Social, orientam-se por diferentes correntes teóricas e complementam as provisões de serviços e outras prestações sociais monetárias. Entretanto, na América Latina, os sistemas de proteção social inconclusos vêm cedendo lugar aos programas de renda mínima, que surgem tardiamente na região.

Biografia do Autor

Robson Roberto da Silva, Universidade Federal Fluminense, Niterói, Rio de Janeiro

Doutorado em Serviço Social pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Professor Adjunto da Escola de Serviço Social da Universidade Federal Fluminense (UFF).

Downloads

Publicado

2019-04-25