O trabalho dos cuidadores de idosos na perspectiva da economia do care

Priscila Cerutti, Jandir Pauli, Vanessa Rissi, Paula Gomes

Resumo


As características e os desafios do trabalho dos cuidadores de idosos ainda são pouco investigados no Brasil. O presente artigo tem por objetivo explorar as percepções de cuidadores de idosos sobre seu trabalho a partir da perspectiva da Economia do Care. Por meio de uma pesquisa qualitativa, foram realizadas dez entrevistas com cuidadores que atendem no próprio domicílio do idoso. As entrevistas foram realizadas com base em um roteiro semiestruturado e analisadas por meio da técnica de análise de conteúdo. Dessa análise emergiram quatro categorias sobre as características e desafios desse trabalho: a) apresenta-se aos cuidadores como necessidade para complementar a renda; b) é fonte geradora de sofrimento físico e psíquico; c) os cuidadores criticam a mercantilização do cuidado; e, d) apontam dificuldades para ajustar relações de intimidade, envolvimento afetivo e remuneração do trabalho. Os resultados permitem explorar as subjetividades envolvidas nesse trabalho e apontar intervenções para sua qualificação, oferecendo melhores condições aos cuidadores no ato de cuidar.


Palavras-chave


Economia do care; Intimidade; Cuidadores; Idoso

Texto completo:

PDF/A

Referências


BANDELJ, N.; MORGAN, P.; SOWERS, E. Hostile Worlds or Connected Lives? Research on the Interplay between intimacy and economy. Sociology Compass, [s. l.], v. 9, n. 2, p. 115-127, Feb. 2015.

BARCA, M.; ENGEDAL, K.; LAKS, J.; SELBÆK, G. Quality of life among elderly patients with dementia in institutions. Dementia and Geriatric Cognitive Disorders, Basel, v. 31, n. 6, p. 435-442, Aug. 2011.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa, Portugal: 70, 2009.

BATISTA, A.; ARAÚJO, A. Intimidade e mercado: o cuidado de idosos em instituições de longa permanência. Sociedade e Estado, Brasília, v. 26, n. 1, p. 175-195, jan./abr. 2011.

BORGEAUD-GARCIANDÍA, N. Intimidad, sexualidad, demencias. Estrategias afectivas y apropiación del trabajo de cuidado en contextos desestabilizantes. Papeles del CEIC. International Journal on Collective Identity Research, Leioa, v. 2016, n. 1, p. 1-27, marzo 2016.

BRASIL. Câmara dos Deputados. Projeto de Lei PL nº 4.702, de 2012. Dispõe sobre o exercício da profissão de cuidador de pessoa idosa e dá outras providências. 12 nov. 2012. Disponível em: https://www.camara.leg.br/proposicoesWeb/fichadetramitacao?idProposicao=559429. Acesso em: 10 mar. 2018.

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria nº 1395, de 9 de dezembro de 1999. [Aprova a Política Nacional de Saúde do Idoso]. Diário Oficial: República Federativa do Brasil: seção 1, Brasília, DF, ano 137, n. 237-E, p. 20-24, 13 dez. 1999. Disponível em: http://pesquisa.in.gov.br/imprensa/jsp/visualiza/index.jsp?jornal=1&pagina=20&data=13/12/1999. Acesso em: 20 mar. 2018.

BRASIL. Senado Federal. Projeto de Lei do Senado PLS nº 284, de 2011. Dispõe sobre o exercício da profissão de cuidador de idoso. Diário do Senado Federal, Brasília, DF, 26 maio 2011. Disponível em: https://legis.senado.leg.br/diarios/BuscaDiario?codDiario=4076&paginaDireta=18476#diario. Acesso em: 10 mar. 2018.

CARRARO, P.; MAGALHÃES, C.; CARVALHO, P. Qualidade de vida de cuidadores de idosos com diagnóstico de Alzheimer e o emprego de acupuntura – Revisão de Literatura. Mudanças – Psicologia da Saúde, São Bernardo do Campo, v. 24, n. 2, p. 65-70, jul./dez. 2016.

CRESWELL, J. Qualitative inquiry and research design: choosing among five approaches. 2nd ed. Thousand Oaks: Sage, 2007.

DA ROIT, B.; DE KLERK, J. Heaviness, intensity, and intimacy: Dutch elder care in the context of retrenchment of the welfare state. Medicine Anthropology Theory, Amsterdam, v. 1, n. 1, p. 1-12, 2014.

DENZIN, N.; LINCOLN, Y. Introduction: the discipline and practice of qualitative research. In: DENZIN, N.; LINCOLN, Y. (ed.). The SAGE handbook of qualitative research. 3r ed. Thousand Oaks: Sage, 2005. p. 1-32.

FALEIROS, A.; SANTOS, C.; MARTINS, C.; HOLANDA, R.; SOUZA, N.; ARAÚJO, C. Os desafios do cuidar: revisão bibliográfica, sobrecargas e satisfações do cuidador de idosos. Janus, Lorena, v. 12, n. 22, p. 59-68, jul./dez. 2015.

FIGUEIREDO, L. As diversas faces do cuidar: novos ensaios da psicanálise contemporânea. São Paulo: Escuta, 2009.

GUIMARÃES, N. Casa e mercado, amor e trabalho, natureza e profissão: controvérsias sobre o processo de mercantilização do trabalho de cuidado. Cadernos Pagu, Campinas, n. 46, p. 59-77, jan./abr. 2016.

HARTKE, R.; KING, R.; HEINEMANN, A.; SEMIK, P. Accidents in older caregivers of persons surviving stroke and their relation to caregiver stress. Rehabilitation Psychology, Washington, DC, v. 51, n. 2, p. 150-156, May 2006.

LIMA, S. O trabalho do cuidado: uma análise psicodinâmica. Revista Psicologia: Organizações e Trabalho, Florianópolis, v. 12, n. 2, p. 203-216, maio/ago. 2012.

LOPES, R.; MITRE, N.; COELHO, M.; QUEIROZ, B. Perfil dos cuidadores das instituições de longa permanência para idosos de Itaúna – MG. ConScientiae Saúde, São Paulo, v. 11, n. 2, p. 338-344, abr./jun. 2012.

MARTINEZ, S.; BRÊTAS, A. O significado do cuidado para quem cuida do idoso em uma instituição asilar. Acta Paulista de Enfermagem, São Paulo, v. 17, n. 2, p. 181-188, abr./jun. 2004.

MOL, A. The logic of care: health and the problem of patient choice. London: Routledge, 2008.

PAULI, J.; GOERGEN, C.; GOLDONI, E. Intimidade negociada: a percepção dos cuidadores de idosos na perspectiva da economia do care. Desenvolvimento em Questão, Ijuí, v. 15, n. 39, p. 376-399, abr./jun. 2017.

PIRES, R.; MAZON, M. Trabalho e intimidade: a constituição profissional de cuidadoras em ambiente de home care. Tomo, São Cristóvão, n. 30, p. 337-357, jan./jun. 2017.

ROCHA, M.; VIEIRA, M.; SENA, R. Desvelando o cotidiano dos cuidadores informais de idosos. Revista Brasileira de Enfermagem, Brasília, v. 61, n. 6, p. 801-808, nov./dez. 2008.

ROTE, S.; ANGEL, J.; MARKIDES, K. Health of elderly Mexican American adults and family caregiver distress. Research on Aging, Boston, v. 37, n. 3, p. 306-331, Apr. 2015.

SAIDEL, M.; CAMPOS, C. Family of older adults with mental disorder: perception of mental health professionals. Revista Brasileira de Enfermagem, Brasília, v. 70, n. 4, p. 753-760, jul./ago. 2017.

SCHORCH, M.; WAN, L.; RANDALL, D.; WULF, V. Designing for those who are overlooked: insider perspectives on care practices and cooperative work of elderly informal caregivers. In: ACM CONFERENCE ON COMPUTER-SUPPORTED COOPERATIVE WORK & SOCIAL COMPUTING, 19., 2016, San Francisco. Proceedings [...]. New York: ACM, 2016. p. 787-799.

SILVA, I.; MACHADO, F.; FERREIRA, M.; RODRIGUES, M. Formação profissional de cuidador de idosos atuantes em instituições de longa permanência. Holos, Natal, ano 31, n. 8, p. 342-356, 2015.

SZNELWAR, L.; UCHIDA, S.; LANCMAN, S. A subjetividade no trabalho em questão. Tempo Social, São Paulo, v. 23, n. 1, p. 11-30, jan./mar. 2011.

THE CARE economy. International Labour Organization. [Genebra], c2018. Disponível em: http://www.ilo.org/global/topics/care-economy/lang—en/index.htm. Acesso em: 19 abr. 2018.

TWIGG, J. Care work as a form of bodywork. Ageing & Society, Cambridge, v. 20, n. 4, p. 389-411, July 2000.

ZELIZER, V. A economia do care. Civitas, Porto Alegre, v. 10, n. 3, p. 376-391, set./dez. 2010.

ZELIZER, V. A negociação da intimidade. Petrópolis: Vozes, 2011.

ZELIZER, V. The purchase of intimacy. Princeton: Princeton University Press, 2005.




DOI: https://doi.org/10.1590/1982-02592019v22n2p393

R. Katál. Florianópolis, Santa Catarina, Brasil eISSN: 1982-0259  

Licença Creative Commons Adota a Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.