A Escravidão Digital e a superexploração do trabalho: consequências para a classe trabalhadora

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/1982-02592020v23n3p510

Palavras-chave:

Dependência, Superexploração do Trabalho, Precarização, Uberização

Resumo

O presente artigo tem como escopo de análise a precarização e a superexploração do trabalho, que se manifestam na atualidade através das novas modalidades de terceirização e flexibilização do contrato de trabalho. Fundamenta-se na teoria do valor-trabalho de Marx e na Teoria Marxista da Dependência (Ruy Mauro Marini), objetiva captar alguns elementos essenciais para apreensão da superexploração, tendo em vista estabelecer uma conexão clara entre esta categoria teórica e as novas modalidades de trabalho precário, tão expressivas na atualidade. Dá especial destaque ao setor de serviços, especificamente o trabalho monitorado e controlado por novos dispositivos tecnológicos e de rede. Pretende demonstrar como o processo de expansão dos serviços privatizados e mercadorizados na era informacional-digital contribui para a subsunção real do trabalho ao capital e provoca consequências profundas para a classe trabalhadora, em especial nos países dependentes e periféricos.

Biografia do Autor

Clarissa Tenório Maranhão Raposo, Universidade Federal de Alagoas Faculdade de Serviço Social/UFAL

Faculdade de Serviço Social

Área: Fundamentos do Trabalho profissional

 

Referências

ABÍLIO, L. C. Colapso ou atualidade do empreendimento colonial. Revista Le Monde Diplomatique Brasil, ano 13, n. 150, p. 18, jan. 2020.

AMARAL, M. S.; CARCANHOLO, M. D. Superexploração da força de trabalho e transferência de valor: fundamentos da reprodução do capitalismo dependente. In: FERREIRA, C.; OSÓRIO, J.; LUCE, M. (org.). Padrão de reprodução do capital: contribuições da teoria marxista da dependência. São Paulo: Boitempo, 2012. p. 87-102.

ANTUNES, R. A Era da Informatização e a época da Informalização. Riqueza e Miséria do trabalho no Brasil In: ANTUNES, R. Riqueza e Miséria do Trabalho no Brasil. São Paulo. Boitempo: 2006. p. 15-25.

ANTUNES, R. A Explosão do Novo Proletariado de Serviços In: O privilégio da servidão: o novo proletariado de serviços na era digital. São Paulo. Boitempo: 2018. p. 25-64.

ANTUNES, R. Trabalho remoto e a precarização do ensino. Disponível em: https://youtu.be/HoXwKQ7kg. Acesso em: 28 maio 2020.

CARCANHOLO, M. D. (Im)precisões sobre a categoria da superexploração da força de trabalho. In: NIEMEYER, A. F. (org.). Desenvolvimento e Dependência: cátedra Ruy Mauro Marini. Brasília: IPEA, 2013. p. 71-98.

CHESNAIS, F. A Mundialização do Capital. São Paulo, Xamã: 1996.

FERREIRA, C.; OSÓRIO, J.; LUCE, M. Padrão de reprodução do capital: contribuições da teoria marxista da dependência. São Paulo: Boitempo, 2012. p. 87-102.

GUANAIS, J. B. Pagamento por produção, intensificação do trabalho e superexploração na agroindústria canavieira brasileira. 2016. Tese (doutorado). Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Campinas, Universidade Estadual de Campinas, SP. Disponível em: http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/281240. Acesso em: 29 maio 2020.

LUCE, M. S. A Superexploração da força de trabalho In: LUCE, M. S. Teoria marxista da dependência: problemas e categorias: uma visão histórica. São Paulo: Expressão Popular, 2018. p. 135-177.

MARINI, R. M. Dialética da Dependência In: MARINI, R. M.; SADER, E. (org.). Dialética da Dependência: uma antologia da obra de Ruy Mauro Marini. Petrópolis: Vozes, 2000. p. 105-165.

MARTINS, H.; BIAVATTI, E. Mortos e feridos sobre duas rodas: estudo sobre a acidentalidade e o motociclista em São Paulo. CET, São Paulo, 2009.

MOTA, A. E. Superexploração: uma categoria explicativa do trabalho precário. Revista Online do Museu de Lanifícios da Universidade da Beira Interior, Portugal, v. 2, p. 87, 2013.

TAVARES, M. A. Acumulação, trabalho e desigualdades sociais. In: CFESS. Serviço Social: direitos sociais e competências profissionais. Brasília. CFESS/ABEPSS, 2009, p. 239-254.

TEIXEIRA,F.J.S. O neoliberalismo em debate In: Neoliberalismo e Reestruturação Produtiva. As Novas determinações do Mundo do Trabalho. São Paulo.Cortez,1996. p.195-252.

SANTOS, T. dos. A Estrutura da Dependência. Revista Sociedade Brasileira Economia Política. São Paulo, nº30, p.5-18. Outubro, 2011.

Downloads

Publicado

2020-10-05