O voluntariado: entre a cidadania e a ideologia

Autores

  • Luís Barreiro Carballal Universidad de Santiago de Compostela - Espanha

DOI:

https://doi.org/10.1590/S1414-49802009000200013

Palavras-chave:

Voluntariado, Participación, Sociedad civil, Ciudadania, Participação, Sociedade civil, Cidadania, Volunteer work, Participation, Civil society, Citizenship

Resumo

Este trabalho tem por objetivo estudar o aparecimento de uma série de novos sujeitos políticos na sociedade democrática do câmbio do milênio, sujeitos políticos que o autor considera de importância suficiente no âmbito do Direito Constitucional. A Lei Nacional 6/1996 do voluntariado, a plêiade de leis autonômicas do voluntariado e, por último, a Lei Orgânica reguladora do Direito de Associação de 7 de março de 2002, são amostras manifestas do recente e intenso interesse, por parte da administração, de colonizar este território ignorado até pouco tempo atrás. Na Espanha, tem sido curioso observar como o debate sobre participação política vem mudando de protagonistas. Nos anos 1970, apenas os partidos e sindicatos podiam transformar a sociedade. Nos anos 1980, os novos movimentos sociais eram os únicos capazes de corrigir o capitalismo selvagem. Desde os anos 1990, exclusivamente o voluntariado é capaz de proporcionar um mínimo de esperança à cinzenta participação social e política.

Biografia do Autor

Luís Barreiro Carballal, Universidad de Santiago de Compostela - Espanha

Profesor de Fundamentos del Derecho para el Trabajo Social, Universidad de Santiago de Compostela. Profesor de Derecho Contitucional, Universidad de La Coruña. Presidente del Instituto Galego para a Xestión do Terceiro Sector.

Downloads

Publicado

2009-01-01