Flora Tristan: jornalismo militante em tempo de revoltas

Autores

  • Maria Inês Amarante PUC - Perdizes - SP

DOI:

https://doi.org/10.1590/S1414-49802010000100013

Palavras-chave:

Flora Tristan, Feminismo, Imprensa, Revolução Industrial, Feminism, Press, Industrial Revolution

Resumo

O presente artigo, fruto de uma pesquisa bibliográfica e documental, apresenta o itinerário de Flora Tristan e sua inserção no jornalismo da época, na primeira metade do século 19. Procura-se mostrar diversos aspectos da condição feminina na sociedade francesa em transformação pós-revolucionária e no início da Revolução Industrial, o pensamento de seus teóricos mais relevantes e a vivência da autora diante dessa realidade. O fio condutor do trabalho é a apresentação do perfil bio-bibliográfico de Flora. Através da cronologia comentada de suas obras e textos, publicados após a viagem que empreende à América Latina, evidencia-se a extensão dos ideais utópicosocialistas que defendeu e sua crença em formas mais justas de organização social em prol dos direitos das mulheres e de uma união nacional de trabalhadores. O combate literário e militante da escritora e a coerência de suas ideias de vanguarda lhe garantiram um lugar de destaque na história do pensamento feminista.

Downloads

Publicado

2010-06-14

Edição

Seção

Espaço temático