A ontologia de Lukács e a restauração da crítica ontológica em Marx

Mario Duayer, Andrea Vieira Siqueira, María Fernanda Escurra

Resumo


O presente artigo acentua a relevância da obra póstuma de Lukács, Ontologia do ser social, para a restituição da dimensão de crítica ontológica do pensamento marxiano. Considera especialmente o capítulo sobre o trabalho, onde o autor começa a delinear o ser social capturando suas categorias específicas. É no trabalho, como categoria mediadora por excelência, que o autor busca a gênese das categorias: finalidade, consciência, separação sujeito-objeto, ciência, alternativa, valor e liberdade. Nesse particular, focaliza algumas dessas categorias que não costumam receber muito destaque, inclusive em trabalhos dedicados à Ontologia.


Palavras-chave


Ontologia; Trabalho; Ser social; Crítica ontológica

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.1590/S1414-49802013000100002

R. Katál. Florianópolis, Santa Catarina, Brasil eISSN: 1982-0259  

Licença Creative Commons Adota a Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.