Hegemonia, consenso e coerção e os beneficiários do Programa Bolsa Família

Sônia Maria Ranincheski, Carla Etiene Mendonça da Silva

Resumo


Este artigo investiga as razões da desobediência a regras impostas pelo Estado pelos beneficiários de políticas sociais, especificamente os do Programa Bolsa Família, instituído pelo Governo Federal em 2003. A investigação é feita a partir dos dados coletados em uma pesquisa qualitativa que entrevistou titulares legais de famílias que recebiam o benefício, mas que estavam em situação de descumprimento das condicionalidades. Procura compreender os elementos intrínsecos à ideologia de grupos ou indivíduos que descumprem normas sociais, mesmo sujeitos a penalidades. Problematiza a perspectiva hegemônica do Programa, baseando-se nos conceitos de hegemonia, consenso e coerção de Antonio Gramsci: o alcance e os limites das penalidades – a coerção – e o reconhecimento e a aceitação das regras – o consenso.


Palavras-chave


Política social; Transferência de renda; Hegemonia; Coerção; Consenso

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.1590/S1414-49802013000100011

R. Katál. Florianópolis, Santa Catarina, Brasil eISSN: 1982-0259  

Licença Creative Commons Adota a Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.