Evidências Linguístico-Culturais de resistência na literatura infantil pós-colonial: literatura surda e Ondjaki

Autores

  • Sonia Maria Gomes Sampaio Universidade Federal de Rondônia
  • Larissa Gotti Pissinatti Universidade Federal de Rondônia

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7917.2016v21n2p162

Resumo

 

Este artigo identifica as representações linguístico-culturais de resistência na narrativa Adão e Eva dos autores Lodenir Karnopp e Fabiano Rosa, da literatura surda e na obra Ynari: a menina de cinco tranças do autor angolano Ondjaki. Para tanto, usamos a abordagem comparativista trazendo as evidências de resistência nas obras a partir dos estudos pós-coloniais. Na primeira parte do artigo contextualizamos as obras e após abordamos o termo resistência a partir dos estudos pós-coloniais e, em seguida adentramos na análise das obras. A fim de delimitar os elementos de análise para comparação das obras, fizemos uso de alguns aspectos da topoanálise elencados por seu criador Gaston Bachelard e revisitados por Ozíris Borges Filho, limitando nosso estudo às evidências de resistência manifestadas na obra pelos personagens e pela ambientação criada pelos autores,  identificando os valores culturais e linguísticos que são expressos nas obras. Verificamos que tanto Adão e Eva como Ynari possuem elementos textuais que evidenciam valores linguístico-culturais e os autores, fazem da literatura uma estratégia de resistência.

Biografia do Autor

Sonia Maria Gomes Sampaio, Universidade Federal de Rondônia

Doutora em Educação, Docente do Departamento de Línguas Vernáculas da Universidade Federal de Rondônia atua no Mestrado Acadêmico em Estudos Literários e Mestrado Acadêmico em Letras; Membro do Grupo de Estudos em Cultura, Educação e Linguagens - GECEL/UNIR/CNPq e do Grupo de Pesquisa Literatura, Educação e Cultura: caminhos da alteridade – LECCA/UNIR/CNPq.

Larissa Gotti Pissinatti, Universidade Federal de Rondônia

Mestranda em Estudos Literários pela Universidade Federal de Rondônia - UNIR; Docente efetiva, vinculada ao Departamento de Línguas Vernáculas, na disciplina de LIBRAS pela UNIR; Membro do Grupo de Estudos em Cultura, Educação e Linguagens – GECEL/UNIR/CNPq e do Grupo de Pesquisa Literatura, Educação e Cultura: caminhos da alteridade – LECCA/UNIR/CNPq.

Downloads

Publicado

2016-12-06

Como Citar

SAMPAIO, Sonia Maria Gomes; PISSINATTI, Larissa Gotti. Evidências Linguístico-Culturais de resistência na literatura infantil pós-colonial: literatura surda e Ondjaki. Anuário de Literatura, [S. l.], v. 21, n. 2, p. 162–177, 2016. DOI: 10.5007/2175-7917.2016v21n2p162. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/literatura/article/view/2175-7917.2016v21n2p162. Acesso em: 20 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)