Legado e memórias da violência em <i>Becos da memória</i>

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7917.2019v24n1p173

Resumo

Este ensaio reflete sobre como o conceito de “violência lenta” (slow violence) (Nixon, 2011) estrutura a narrativa do romance Becos da memória (2006), de Conceição Evaristo. Nixon define a “violência lenta” como um processo diacrônico de marginalização que afeta principalmente grupos nas margens econômicas e minorias raciais. A violência lenta é também, segundo Nixon, muitas vezes menos visível. Ela se manifesta em diferentes esferas, incluindo a depredação e a marginalização ambiental. É a faceta ambiental que distingue a violência lenta da violência estrutural, ainda que ambas expressões intersectem.  O texto de Evaristo revela não somente quais são as consequência da violência estrutural (Galtung, 1969), mas também como este tipo de violência influencia a experiência espacial e, pelo tanto, a vivência cotidiana, de populações pobres e racializadas. Nesse sentido, o romance de Evaristo aborda os efeitos da violência lenta sobre comunidades marginalizadas. Dessa forma, Becos da memória traz à tona, a confluência entre meio ambiente e a experiência de vida de população social e espacialmente marginalizadas.

Biografia do Autor

Leila Lehnen, Brown University

Professora de literatura brasileira

Diretora, departamento de estudos portugueses e brasileiros

Referências

BULLARD, Robert D. Dumping in Dixie: race, class, and environmental quality. Boulder: Westview Press, 1990.

CUNHA JÚNIOR, Henrique, RAMOS, Maria Estela Rocha. Apresentação. In: CUNHA JÚNIO, Henrique e RAMOS, Maria Estela Rocha. Espaço urbano e afrodescendência. Estudos de espacialidade negra urbana para o debate das políticas públicas. Fortaleza: UFC, 2007. p. 11-16.

DAVIS, Mike. Planet of slums. London: Verso, 2006.

EVARISTO, Conceição. Becos da memória. Belo Horizonte: Pallas Edições, 2006.

EVARISTO, Conceição. Conversa com o Leitor. Da construção de Becos da memória. In: EVARISTO, Conceição. Becos da memória. Belo Horizonte: Pallas Edições, 2006. p. 9.

FONSECA, Maria Nazareth Soares. Costurando uma colcha de memórias. In: EVARISTO, Conceição. Becos da memória. Belo Horizonte: Pallas Edições, 2006. p. 11-18.

GALTUNG, Johan. Violence, Peace, and Peace Research. Journal of Peace Research, Oslo, v. 6, n. 3, p. 167–191. 1969.

GUHA, Ramachandra. Anil Agarwal and the Environmentalism of the Poor. Capitalism Nature Socialism. v. 13 n. 3. 147-155. 2002.

GUHA, Ramachandra.; MARTÍNEZ-ALIER, Juan. Varieties of environmentalism: essays North and South. London: Earthscan, 2013.

HOLSTON, James. Insurgent citizenship: disjunctions of democracy and modernity In Brazil. Princeton: Princeton University Press, 2008.

JESUS, Carolina Maria de. Quarto de despejo: diário de uma favelada. 7. ed. São Paulo: F. Alves, 1960.

MARTÍNEZ-ALIER, Juan. The environmentalism of the poor: a study of ecological conflicts and valuation. Cheltenham: Edward Elgar, 2002.

NIXON, Rob. Slow violence and the environmentalism of the poor. Cambridge, Mass.: Harvard University Press, 2011.

OLIVEIRA, Luiz Henrique Silva de. O romance Afro-Brasileiro de corte autoficcional: “Escrevivências” em Becos da memória. In: DUARTE, Constância Lima; CÔRTES, Cristiane; PEREIRA, Maria da Rosário A. Escrevivências: identidade, gênero, e violência na obra de Conceição Evaristo. Belo Horizonte: Idea, 2016. p. 71-82.

VENTURA, Zuenir. Cidade partida. São Paulo, Brazil: Companhia das Letras, 1994.

VIEIRA, Aline Deyques. Memória coletiva e questão do trauma em Becos da memória. In: DUARTE, Constância Lima; CÔRTES, Cristiane; PEREIRA, Maria da Rosário A. Escrevivências: identidade, gênero, e violência na obra de Conceição Evaristo. Belo Horizonte: Idea, 2016. p. 121-132.

Publicado

2019-08-26

Como Citar

LEHNEN, Leila. Legado e memórias da violência em <i>Becos da memória</i>. Anuário de Literatura, [S. l.], v. 24, n. 1, p. 173–186, 2019. DOI: 10.5007/2175-7917.2019v24n1p173. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/literatura/article/view/2175-7917.2019v24n1p173. Acesso em: 28 maio. 2024.

Edição

Seção

Representações afro-brasileiras: uma homenagem a Conceição Evaristo