O flautista de Hamelin: Explorando a história

Leila Mury Bergmann, Maria das Graças Freitas da Rosa Pires

Resumo


O presente artigo tem como objetivo explorar a história O Flautista de Hamelin. Para tanto, são apresentados aspectos sociais referentes à infância da época (provável) em que foi criado o conto, bem como algumas curiosidades a respeito do mesmo. Além disso, o texto traz um relato pessoal (das autoras) de uma atividade de contação de histórias em uma creche de uma escola pública de Porto Alegre a partir da versão do livro O Flautista de Hamelin, de Tatiana Belinky. Após perguntas e conversas informais sobre o conto, foram analisadas as exposições orais das crianças. A pesquisa traz como suporte teórico, contribuições de estudos de autores ligados, principalmente à área de Literatura Infantil e Educação. Constatou-se que a história do flautista motivou intervenções representativas, uma vez que durante a atividade de contação as crianças lançavam mão de aspectos típicos de sua cultura e mostravam, ainda, o domínio que tinham de ordenação temporal dos eventos do texto, bem como a criatividade que lhes é peculiar - em sua faixa etária - de recriarem na situação do chamado faz-de-conta.


Palavras-chave


Educação Infantil; Literatura Infantil; Contação de Histórias

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7917.2008v13n2p39

Direitos autorais 2008 Leila Mury Bergmann, Maria das Graças Freitas da Rosa Pires

Rev. Anu. Lit. Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis. Santa Catarina. Brasil. ISSNe 2175-7917

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.