Por uma etnografia feminista das migrações internacionais: dos estudos de aculturação para os estudos de gênero

Ethel V. Kosminsky

Resumo


Este artigo se propõe a fazer um balanço de uma das primeiras pesquisas etnográficas realizadas no Brasil sobre imigração, fundamentada na teoria da aculturação, com o intuito de verificar qual a contribuição desse tipo de pesquisa para o crescimento de uma etnografia feminista, que tem gênero como categoria central de seus trabalhos. Referimo-nos ao livro Italianos no mundo rural paulista, de João Baptista Borges Pereira. Através da análise dessa obra, discutiremos a viabilidade teórico-metodológica do emprego da categoria “gênero”, buscando contribuir para o enriquecimento da etnografia feminista nos estudos migratórios internacionais


Palavras-chave


etnografia feminista; gênero; aculturação; migrações internacionais.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.1590/S0104-026X2007000300016

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 Licença Creative Commons
A Revista Estudos Feministas está sob a licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

 

Revista Estudos Feministas, ISSN 1806-9584, Florianópolis, Brasil.