Costureiras, mucamas, lavadeiras e vendedoras: o trabalho feminino no século XIX e o cuidado com as roupas (Rio de Janeiro, 1850-1920)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/1806-9584-2019v27n148913

Palavras-chave:

história, trabalho feminino, urbanização, escravidão, indústria, Brasil

Resumo

O trabalho assalariado feminino se transforma no século XIX, enquanto se desenvolve o capitalismo. Se, por um lado, as mulheres passam a ser vistas como consumidoras de mercadorias, por outro, esse consumo dá início a uma série de transformações nas suas vidas. As mulheres passam a sair da casa para comprar, em especial, roupas. A indústria de confecção, que começa a partir de pequenos ateliês, abre espaço para novos tipos de trabalho feminino remunerados: vendedoras, costureiras, fazedoras de chapéus. Multiplicam-se os trabalhos femininos no cuidado com a roupa e no vestir-se das mulheres de elite. Mas são as mucamas, as costureiras e as lavadeiras, geralmente escravas, que vão transformar o tipo de trabalho feito por mulheres no século XIX.

Biografia do Autor

Joana de Moares Monteleone, Universidade Federal de São Paulo

Pós-doutorada no Departamento de História da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp)

Downloads

Publicado

2019-05-09

Edição

Seção

Artigos