O conceito de exploração sexual e seus tensionamentos: para além da dicotomia vitimização-exploração

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/1806-9584-2019v27n149509

Palavras-chave:

Exploração sexual, Prostituição, Gênero

Resumo

 

O presente estudo buscou tensionar as concepções de exploração sexual, ampliando a discussão para além da dicotomia vitimização-culpabilização, assim como problematizando a expressão “exploração”. A metodologia contou com entrevistas semiestruturadas - dois profissionais com experiência no atendimento a/aos jovens em situação de abrigamento - e material documental: um inquérito policial de uma jovem de 17 anos em situação de exploração sexual. Os resultados mostraram o quanto as jovens buscam ressignificar as suas experiências de violência, retomando o corpo como uma ferramenta de prestígio e reconhecimento nas trocas que passam a estabelecer no sexo pago.  Lidar com essas complexidades exige considerarmos esses limites de se viver uma sexualidade estimulada precocemente, mas fortemente combatida por se enquadrar numa situação de violência.

Biografia do Autor

Monise Serpa, UNIFRA/Professora Adjunta

Mestre em Psicologia pela UFRGS, Doutora em Educação pela UFRGS e professora adjunta de Psicologia da UNIFRA

Jane Felipe, UFRGS/Professora Adjunta

Jane Felipe é professora titular da Faculdade de Educação da UFRGS, mestre em Educação pela UFF, doutorado em Educação pela UFRGS

Downloads

Publicado

2019-05-09

Edição

Seção

Artigos