Sexualidade: Saber e Individualidade

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/1806-9584-2019v27n254146

Palavras-chave:

Sexualidade, Saber Científico, Sociologia, Individualização

Resumo

Este artigo resulta de um exercício de revisão de literatura feito no âmbito de uma pesquisa
de doutoramento em Sociologia, cujo objetivo central consistiu na identificação de mudanças e
continuidades nas formas de viver e representar a sexualidade, nas últimas décadas, em Portugal. Em concreto, procurámos com este artigo explorar duas vias fundamentais de conceptualização da sexualidade: primeiro, a sexualidade enquanto campo legítimo do saber científico e, depois, a sexualidade enquanto objeto da Sociologia em particular. Deste exercício resulta a ideia de que, enquanto dimensão da vida social, a sexualidade é um reflexo de mudanças sociais mais abrangentes, sendo, nas sociedades contemporâneas, palco de importantes conquistas identitárias e lugar de excelência para uma nova ordem de individualização e prazer.

Biografia do Autor

Dulce Morgado Neves, Instituto Universitário de Lisboa (ISCTE-IUL), CIES-IUL, Lisboa, Portugal

Doutorou-se em Sociologia pelo ISCTE-IUL (2013), defendendo tese intitulada “Intimidade e Vida Sexual: mudanças e continuidades numa perspectiva de género e geração”

É bolseira de pós-doutoramento da FCT e investigadora no CIES-IUL, onde desenvolve uma pesquisa sobre “A Maternidade Naturalizada como nova conceção cidadania: adesão e controvérsia em Portugal e Espanha”

Atualmente, as suas áreas de trabalho incidem sobre o género, a maternidade e o nascimento e participa em redes nacionais e internacionais dedicadas a estes temas. É membro da equipa portuguesa que conduz o inquérito internacional Babies Born Better e sócia da Associação Portuguesa pelos Direitos da Mulher na Gravidez e no Parto

Downloads

Publicado

2019-09-05

Edição

Seção

Artigos