Representação e estereótipos de mulheres negras no cinema brasileiro

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/1806-9584-2019v27n254549

Palavras-chave:

Mulheres Negras, Cinema Brasileiro, Racismo, Representação, Estereótipo

Resumo

O objetivo deste artigo é contribuir à crítica feminista do cinema a partir da análise da
representação das mulheres negras nos longas-metragens brasileiros de maior público dos últimos anos. Este esforço se divide em três partes: em primeiro lugar, revisamos os estudos sobre o tema, mostrando que a articulação entre raça e gênero tem sido tratada de maneira marginal e com falhas metodológicas; em seguida, apresentamos dados quantitativos sobre o perfil dos elencos principais dos filmes nacionais; e, por fim, desenvolvemos uma tipologia dos estereótipos atribuídos às protagonistas de cor preta ou parda. Os resultados permitem concluir que perdura a sub-representação da mulher negra e a criação predominante de imaginários negativos, que as reduzem a ícones do espaço doméstico e a objetos de sexualização e de dissimulação.

Biografia do Autor

Marcia Rangel Candido, Instituto de Estudos Sociais e Políticos (IESP-UERJ)/ Doutoranda

Doutoranda em Ciência Política no Instituto de Estudos Sociais e Políticos da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (IESP-UERJ). Pesquisadora visitante no Departamento de Sociologia da Universidade de Cambridge entre outubro de 2018 e março de 2019, contemplada no edital do PDSE (Processo n. 88881.187853/2018-01). Este artigo foi possível graças ao fomento da FAPERJ à pesquisa de mestrado e a bolsa de doutorado CAPES BRASIL/ INCT – Instituto da Democracia e da Democratização da Comunicação.

João Feres Júnior, Diretor e Professor no Instituto de Estudos Sociais e Políticos da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (IESP-UERJ)

Docente e diretor do Instituto de Estudos Sociais e Políticos (IESP-UERJ)

Downloads

Publicado

2019-09-05

Edição

Seção

Artigos