Aproximações possíveis entre os estudos da deficiência e as teorias feministas e de gênero

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/1806-9584-2019v27n256147

Resumo

Os estudos feministas e de gênero e aqueles sobre as deficiências constituem, tradicionalmente, campos separados de pesquisa e teorização, tendo cada um objetos e âmbitos distintos e bem definidos. Na década de 1990, tais perspectivas foram problematizadas por mulheres com deficiências pesquisadoras das teorias feministas, que apontaram tanto as limitações de ambos os campos quanto a necessidade de articulá-los para constituir perspectivas mais complexas de compreensão da sociedade como um todo. Nesse sentido, este trabalho busca estabelecer tais articulações, pensando o campo das deficiências a partir dos estudos feministas e de gênero, em uma perspectiva queer/crip de interrogação da sociedade com vistas à constituição de um mundo aleijado.

Biografia do Autor

Molise de Bem Magnabosco, Universidade Estadual Paulista, campus de Assis. Prefeitura Municipal de Rondonópolis-MT.

Doutoranda em Psicologia na Universidade Estadual Paulista (UNESP), campus de Assis; mestra em Educação pela Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), campus de Rondonópolis; psicóloga, atuando na Rede Municipal de Ensino da Prefeitura Municipal de Rondonópolis-MT

Leonardo Lemos de Souza, Universidade Estadual Paulista, campus de Assis.

Doutor em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP); psicólogo e mestre em Psicologia pela Universidade Estadual Paulista (UNESP), campus de Assis; professor adjunto do Departamento de Psicologia Social e Educacional, também da Universidade Estadual Paulista (UNESP), campus de Assis.

Downloads

Publicado

2019-09-05

Edição

Seção

Artigos