Aproximações possíveis entre os estudos da deficiência e as teorias feministas e de gênero

Molise de Bem Magnabosco, Leonardo Lemos de Souza

Resumo


Os estudos feministas e de gênero e aqueles sobre as deficiências constituem, tradicionalmente, campos separados de pesquisa e teorização, tendo cada um objetos e âmbitos distintos e bem definidos. Na década de 1990, tais perspectivas foram problematizadas por mulheres com deficiências pesquisadoras das teorias feministas, que apontaram tanto as limitações de ambos os campos quanto a necessidade de articulá-los para constituir perspectivas mais complexas de compreensão da sociedade como um todo. Nesse sentido, este trabalho busca estabelecer tais articulações, pensando o campo das deficiências a partir dos estudos feministas e de gênero, em uma perspectiva queer/crip de interrogação da sociedade com vistas à constituição de um mundo aleijado.

Palavras-chave


Deficiência; Modelo Social da Deficiência; Epistemes feministas; Teoria Crip

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.1590/1806-9584-2019v27n256147

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 Licença Creative Commons
A Revista Estudos Feministas está sob a licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

 

Revista Estudos Feministas, ISSN 1806-9584, Florianópolis, Brasil.