Queer na primeira pessoa: notas para uma enunciação localizada

Daniel Lourenço

Resumo


Neste artigo procuro confrontar o que percepciono enquanto certos enquadramentos
positivistas naturalizados na teoria queer contemporânea, em que se reproduzem disposições
clássicas da relação formal, afectiva e metodológica sujeito/objecto, desejando, no processo,
problematizar o que podemos descrever como os mecanismos de objectificação epistémica
e política patente em alguma teoria queer recente. Em contraste, e por via da leitura de
contribuições teóricas feministas (especialmente das últimas décadas do século XX), procuro
traçar uma contra-narrativa teórica, uma outra trajectória epistémica, que valorize precisamente a mútua implicação entre subjetividade e objetividade, potencializando outra conceitualização de possíveis práticas críticas queer, encarnadas e operacionalizadas por via do corpo sujetivo significante.


Palavras-chave


Teoria Queer; Teoria Feminista; Enunciação; Epistemologia Queer; Conhecimentos Situados

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.1590/%25x

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 Licença Creative Commons
A Revista Estudos Feministas está sob a licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

 

Revista Estudos Feministas, ISSN 1806-9584, Florianópolis, Brasil.