Queer na primeira pessoa: notas para uma enunciação localizada

Autores

  • Daniel Lourenço Nenhuma. Anteriormente, Universidade de Sussex (mestrado) e Universidade de Lisboa (licenciatura).

DOI:

https://doi.org/10.1590/%25x

Palavras-chave:

Teoria Queer, Teoria Feminista, Enunciação, Epistemologia Queer, Conhecimentos Situados

Resumo

Neste artigo procuro confrontar o que percepciono enquanto certos enquadramentos
positivistas naturalizados na teoria queer contemporânea, em que se reproduzem disposições
clássicas da relação formal, afectiva e metodológica sujeito/objecto, desejando, no processo,
problematizar o que podemos descrever como os mecanismos de objectificação epistémica
e política patente em alguma teoria queer recente. Em contraste, e por via da leitura de
contribuições teóricas feministas (especialmente das últimas décadas do século XX), procuro
traçar uma contra-narrativa teórica, uma outra trajectória epistémica, que valorize precisamente a mútua implicação entre subjetividade e objetividade, potencializando outra conceitualização de possíveis práticas críticas queer, encarnadas e operacionalizadas por via do corpo sujetivo significante.

Biografia do Autor

Daniel Lourenço, Nenhuma. Anteriormente, Universidade de Sussex (mestrado) e Universidade de Lisboa (licenciatura).

Daniel Lourenço é investigador independente na área da teoria queer e feminista, com particular enfoque na relação entre a escrita e as corporalidades minoritárias e dissidentes. É licenciado em Artes e Culturas Comparadas pela Universidade de Lisboa e mestre em Dissidência Sexual na Literatura e na Cultura pela Universidade de Sussex. Para além de activista em torno de questões trans*, queer e feministas, está também activo enquanto autor literário, tendo recentemente publicado o trabalho de prosa poética “Lábio/Abril” (Editora Traveller, 2015).

Downloads

Publicado

2017-05-25

Edição

Seção

Ensaio