Feminicídios: um longo debate

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/%25x

Palavras-chave:

Feminicídios, Violência de Gênero, Epistemologia Feminista

Resumo

O problema da mortalidade violenta de mulheres foi denunciado pelos movimentos feministas há mais de trinta anos e, portanto, há algum tempo já se sabe que a violência de gênero contra as mulheres tem uma expressão letal. Entretanto, o reconhecimento dessas mortes como um “feminicídio” é um processo mais recente. O objetivo deste artigo é apresentar um panorama da produção epistemológica feminista latino-americana que reconhece três ênfases na análise, compreensão e resposta para os feminicídios: um conjunto de diversas mortes violentas em razão do gênero, os assassinatos cujas características conformam feminicídios e, dentre estes, a reivindicação de uma resposta penal específica ao fenômeno. O caminho deste debate é longo, mas de extrema necessidade frente à realidade de matança das mulheres.

Biografia do Autor

Izabel Solyszko Gomes, "Universidad de Los Andes"

Docente na Facultad de Ciencias Humanas y Sociales da Universidad Externado de Colombia. Pos-Doutoranda no Centro Interdisciplinario de Estudios sobre Desarrollo da Universidad de Los Andes.

Downloads

Publicado

2018-08-13

Edição

Seção

Artigos