Relações de gênero e inovação: atuação de mulheres nos NITs paulistas

Tatiane Furukawa Liberato, Thales Haddas Novaes de Andrade

Resumo


As últimas décadas presenciaram avanços importantes no que diz respeito à inserção e participação das mulheres no campo científico. Entretanto, estudos demonstram que essa participação ainda é menor que a masculina, indicando que as mulheres não avançam na carreira científica de forma igualitária. Partindo do pressuposto de que o crescimento expressivo do número de mulheres nas universidades do país revela que a mulher pode estar mais engajada em trabalhos relacionados ao campo da Ciência, Tecnologia e Inovação, neste artigo verificamos como esta participação tem acontecido na atuação dos Núcleos de Inovação Tecnológica (NITs) das Instituições Científicas e Tecnológicas (ICTs) paulistas, através de levantamento qualiquantitativo das mulheres neste campo. O intuito foi debater o tema permeado pela relação atual de universidade-empresa considerando o número de mulheres neste processo de inovação, e como um estudo dessa natureza pode ser ferramenta para maiores discussões e/o participações das mulheres no desenvolvimento da Ciência.

Palavras-chave


Mulheres e Núcleos de Inovação Tecnológica; Gênero e Ciência; Mulheres nos NITs; Gênero e Inovação

Texto completo:

PDF/A


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 Licença Creative Commons
A Revista Estudos Feministas está sob a licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

 

Rev. Estud. Fem., ISSN 1806-9584, Florianópolis, Brasil.