Imperfeições no papel: a infertilidade nas páginas da Revista Pais & Filhos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/%25x

Palavras-chave:

Infertilidade, Maternidade, Gênero, Revista Pais & Filhos

Resumo

Esta pesquisa teve por objetivo problematizar, a partir de uma dimensão histórica, a esterilidade/infertilidade na segunda metade do século XX no Brasil, segundo a análise documental da Revista Pais & Filhos. Os temas centrais debatidos foram as narrativas construídas pela revista em torno da dificuldade ou impossibilidade de se ter um filho. O interesse versou sobre a articulação entre os saberes médicos e os discursos apresentados na Pais & Filhos, quando a temática da infertilidade foi abordada. Foram usadas como bases teóricas as reflexões de Butler (2000; 2002), Braidotti (2001), Haraway, Kunzru e Tadeu (2000), dentre outras. Em linhas gerais, pode-se observar que a revista construiu estratégias narrativas que tornavam as mulheres inférteis em doentes. A gestação e o exercício da maternidade foram amplamente valorizados pela revista.

Biografia do Autor

Georgiane Garabely Vazquez, PPGH/UFPR

Doutora em história pela UFPR(2015) onde defendeu tese “Da mãe que não fui: experiência da ausência de maternidade ao longo do século XX”. Mestre em história também pela UFPR, com dissertação já publicada em forma de livro “Mais cruéis que as próprias feras? Aborto e infanticídio nos Campos Gerais/PR entre o século XIX e o XX”. Ambos os trabalhos desenvolvidos sobre orientação da prof. Dra. Ana Paula Vosne Martins. É autora de artigos que tratam de maternidade e recusa à maternidade. Membro de Núcleo de Estudos de Gênero da UFPR e membro do GT de gênero da ANPUH/PR, sendo que em 2016 coordenará o ST da regional Paraná sobre gênero. Parecerista da REF - UFSC. Foi professora colaboradora na UEPG, onde atualmente está vinculada a licenciatura em história- modalidade à distância; Orientadora na especialização de História, Arte e Cultura da UEPG e professora do curso de Ciências Sociais da Faculdade Sagrada Família, na cidade de Ponta Grossa/PR onde também orienta trabalhos sobre gênero. Aprovada em 1º lugar em concurso público para professor efetivo da Universidade Estadual do Paraná (UNESPAR), aguardando nomeação.  Pesquisa maternidade, sentimentos, infertilidade, discurso médico.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Downloads

Publicado

2018-04-24

Edição

Seção

Artigos