Usos de substâncias psicoativas por mulheres: a importância de uma perspectiva de gênero

Tahiana Meneses Alves, Lúcia Cristina dos Santos Rosa

Resumo


O objetivo do artigo é promover, através de pesquisa teórica bibliográfica, uma
reflexão sobre os usos de substâncias psicoativas por mulheres. Reconhecer a necessidade de
uma abordagem interdisciplinar, mas investir nos aspectos socioculturais relativos a tais práticas é o foco. O gênero, enquanto um determinante sociocultural, é priorizado. Homens e mulheres – enquanto diferentes atores sociais/culturais – conservam envolvimentos distintos com o consumo de substâncias psicoativas. Assim, considera que as mulheres constituem um segmento diferenciado de usuárias, com características e necessidades particulares, que devem ser consideradas pelas políticas públicas. As próprias mulheres, porém, não constituem um grupo homogêneo. Portanto, uma abordagem aos seus consumos de substâncias psicoativas deve ser feita integralmente, levando em conta os seus contextos e particularidades, e pautada em uma perspectiva de Redução de Danos


Palavras-chave


Gênero; Usos de Substâncias Psicoativas; Mulheres; Políticas Públicas

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.1590/%25x

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 Licença Creative Commons
A Revista Estudos Feministas está sob a licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

 

Revista Estudos Feministas, ISSN 1806-9584, Florianópolis, Brasil.