“Estará nas pílulas anticoncepcionais a solução?” Debate na mídia entre 1960-1970

Tânia Maria Dias, Claudia Bonan, Andreza Rodrigues Nakano, Ivia Maksud, Luiz Antônio Teixeira

Resumo


O artigo apresenta o debate social sobre pílulas anticoncepcionais, veiculado em O Globo, nos anos 1960 e 1970. Realizamos uma pesquisa sócio-histórica, utilizando o método de estudo de controvérsias. A segurança e a oportunidade dessas tecnologias no Brasil foram as principais questões dos conflitos que envolveram médicos, Igreja, autoridades públicas e entidades de planejamento familiar. Após anos de ambiguidade, o Estado entra efetivamente no debate e, recuperando a ideia de “paternidade responsável”, difundida pela Igreja Católica, contribui para a estabilização das controvérsias. O centro dos debates se desloca de questões malthusianas para uma perspectiva neomalthusiana liberal-conservadora que relaciona o direito de decidir sobre a prole e à responsabilidade moral e cívica de limitar o número de filhos àquele que se possa criar.

 


Palavras-chave


Contraceptivos Orais; Pílula Anticoncepcional; Planejamento Familiar; Controvérsias; Mídia

Texto completo:

PDF/A


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 Licença Creative Commons
A Revista Estudos Feministas está sob a licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

 

Rev. Estud. Fem., ISSN 1806-9584, Florianópolis, Brasil.