A biopolítica do corpo feminino em estratégias contemporâneas de ativismo digital

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/%25x

Palavras-chave:

Corpo Feminino, Biopolítica, Ativismo Digital, Pussy Riot, Femen

Resumo

Neste trabalho, observamos a utilização da imagem do corpo feminino como uma estratégia recorrente em ações ativistas em diferentes partes do mundo. Os elementos estéticopolíticos do corpo, historicamente utilizados pelas artes, tais como o nu, a dor, o erotismo e a identidade (ou o anonimato) são reconduzidos para um projeto de cultura ativa e participativa dentro das redes de comunicação digital. Nossa análise insere-se no campo da biopolítica e faz uso de três exemplos recentes: os autorretratos da egípcia Aliaa Magda Elmahdy e as ações dos coletivos Pussy Riot (Rússia) e Femen (Ucrânia)

Downloads

Publicado

2016-09-19

Edição

Seção

Artigos