Judith Gautier e o espanto de Baudelaire: papéis sociais e espaços literários no século XIX

Caroline Jaques Cubas, Gilles Jean Abes

Resumo


Esse artigo tem por objetivo apresentar aspectos introdutórios sobre a vida e obra da escritora e tradutora francesa Judith Gautier, relativamente desconhecida no Brasil. Essa reflexão foi incitada pelo espanto que um artigo escrito e publicado pela jovem, com 19 anos, na época, no jornal Le Moniteur, em 29 de março de 1864, produziu sobre o poeta francês Charles Baudelaire. Pautamo-nos em uma carta do autor, endereçada a Judith em 9 de abril de 1864. A reação de surpresa de Baudelaire perante a análise da jovem produziu nele um questionamento sobre seus próprios preconceitos, os quais nos remetem aos papéis sociais e espaços literários atribuídos a mulheres e homens no século XIX.


Palavras-chave


Judith Gautier; Baudelaire; Gênero; Tradução

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.1590/%25x

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 Licença Creative Commons
A Revista Estudos Feministas está sob a licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

 

Revista Estudos Feministas, ISSN 1806-9584, Florianópolis, Brasil.