O Valor Material e Simbólico da Renda Renascença

Else de F. Albuquerque, Marilda Menezes

Resumo


O município de Camalaú, situado no Cariri paraibano, destaca-se pela fabricação da renda renascença. Em toda a região, essa atividade assume grande importância econômica que pode ser observada, dentre outros aspectos, na quantidade de mulheres que trabalham na confecção da renda; há cerca de quatro mil mulheres que se dedicam simultaneamente à agricultura familiar e ao artesanato, segundo dados do Banco do Nordeste. Devido a fatores como a falta de políticas públicas para a agricultura familiar, a concentração fundiária e o agravamento das condições de produção dos agricultores em períodos de escassez de chuvas, tem havido o impulsionamento do crescimento dessa atividade na região. Um dado relevante a ser observado é a participação de homens na feitura da renda, uma vez que essa é uma atividade considerada de mulher. Neste artigo analisamos a atividade artesanal como uma fonte de renda, perpassada por relações de gênero, atentando para a importância da renda renascença como atividade de homem e de mulher e a sua feitura no cotidiano das mulheres, em que se entrelaçam trabalho, socialização de crianças e vivência lúdica.


Palavras-chave


artesanato; gênero; trabalho.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.1590/S0104-026X2007000200013

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 Licença Creative Commons
A Revista Estudos Feministas está sob a licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

 

Revista Estudos Feministas, ISSN 1806-9584, Florianópolis, Brasil.