Abuso e exploração sexual em operações de paz: o caso da MINUSTAH

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/1806-9584-2020v28n60992

Palavras-chave:

patriarcado, masculinidade militarizada, exploração sexual feminina, operações de paz, MINUSTAH

Resumo

Neste artigo discutimos as condicionantes que contribuíram para a ocorrência de casos de abuso e exploração sexual feminina praticada por peacekeepers durante a Missão de Estabilização das Nações Unidas no Haiti (MINUSTAH). No trabalho, buscamos compreender a conjuntura a partir de uma perspectiva feminista, considerando a influência da masculinidade militarizada e das condições socioeconômicas do país para a perpetuação da violência contra meninas e mulheres durante o período de vigência da missão.

Referências

AGENCE FRANCE-PRESSE. “Almost 1 million Haitians are in ‘urgent need of humanitarian assistance’ after hurricane Matthew”. The World, 2016. Disponível em https://www.pri.org/stories/2016-10-09/almost-1-million-haitians-are-urgent-need-humanitarian-assistance-after-hurricane. Acesso em 14/02/2018.

AGUIAR, Ana Graziela. “Cinco anos depois, terremoto que devastou Haiti ainda deixa marcas pelo país”. Agência Brasil, 2015. Disponível em http://agenciabrasil.ebc.com.br/internacional/noticia/2015-01/cinco-anos-depois-terremoto-que-devastou-haiti-ainda-deixa-marcas-pelo. Acesso em 12/06/2017.

ARMSTRONG, Lisa. “Haiti’s Teenage Prostitution Problem & Aid Groups Trying to Help”. Daily Beast, 2017. Disponível em https://www.thedailybeast.com/haitis-teenage-prostitution-problem-and-aidgroups-trying-to-help. Acesso em 30/07/2017.

BBC BRASIL. “Em 2 anos, 32 mil mulheres são estupradas no Haiti”. BBC BRASIL, 2006. Disponível em http://www.bbc.com/portuguese/reporterbbc/story/2006/09/060905_haitiviolenciapu.shtml. Acesso em 05/07/2017.

BBC. “Hurricane Matthew: Haiti south ’90% destroyed’”. BBC BRASIL, 2016. Disponível em http://www.bbc.com/news/world-latin-america-37596222. Acesso em 19/10/2017.

CAVALCANTE, Fernando. “Sucesso ou Fracasso? Uma avaliação dos resultados da MINUSTAH”. ECadernos CES, 2019. Disponível em https://eces.revues.org/342. Acesso em 14/05/2017.

CBC News. “Haiti raises quake death toll on anniversary”. CBC News, 2011. Disponível em http://www.cbc.ca/news/world/haiti-raises-quake-death-toll-on-anniversary-1.1011363. Acesso em 19/10/2017.

CHADE, Jamil. “Soldados brasileiros são acusados de abusos sexuais no Haiti, diz agência de notícias”. Estadão, 2017. Disponível em http://internacional.estadao.com.br/noticias/geral,soldadosbrasileiros-sao-acusados-de-abusos-sexuais-no-haiti-diz-agencia-de-noticias,70001741751. Acesso em 20/09/2017.

COBERLLINI, Mariana Dalalana. Haiti: da crise a MINUSTAH. 2009. Dissertação (Mestrado em Relações Internacionais) – Programa de Pós-Graduação em Relações Internacionais, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

CRISTINA, Odete. A dura realidade das mulheres no Haiti. Esquerdadiário, 2015. Disponível em http://www.esquerdadiario.com.br/A-dura-realidade-das-mulheres-no-Haiti. Acesso em 02/07/2017.

CSÁKY, Corinna. “How are children being abused?” In: SAVE THE CHILDREN UK. No One to Turn to. The under-reporting of child sexual exploitation and abuse by aid workers and peacekeepers. London: Save the Children, 2008. Disponível em https://www.refworld.org/docid/483c2a822.html.

DESVARIEUX, Jessica. “In Postquake Haiti, an Influx of Dominican Prostitutes”. Time, 2010. Disponível em http://content.time.com/time/world/article/0,8599,2007131,00.html. Acesso em 25/07/2017.

DODDS, Paisley. “UN child sex ring left victims but no arrests”. Associated Press News, 2017. Disponível em https://www.apnews.com/e6ebc331460345c5abd4f57d77f535c1. Acesso em 01/07/2017.

DONAIS, Timothy. “Reforming the Haitian National Police: from stabilization toconsolidation”. In: HEINE, Jorge; THOMPSON, Andrew (Orgs.). Fixing Haiti: MINUSTAH and beyond. New York: United Nations University Press, 2007.

DUNCANSON, Claire. Forces for Good? British Military Masculinities on Peace Support Operations. 2007. Tese (Doutorado em Relações Internacionais) – The University of Edinburgh, Edinburgh.

ENLOE, Cynthia. “Understanding Militarism, Militarization, and the Linkages with Globalization: Using a Feminist Curiosity”. In: WOMEN PEACEMAKERS PROGRAM. Gender & militarism: Analyzing the links to strategize for peace. The Hague: WPP, 2014.Disponível em http://www2.kobe-u.ac.jp/~alexroni/IPD%202015%20readings/IPD%202015_9/Gender%20and%20Militarism%20May-Pack-2014-web.pdf.

ENLOE, Cynthia. Bananas, Beaches and Bases: making feminist sense of international politics. Berkeley: University of California Press, 1990.

ENLOE, Cynthia. Maneuvers: The International Politics of Militarizing Women’s Lives. Los Angeles: University of California Press, 2000.

FOLHA DE SÃO PAULO. “Haiti vive pior crise humanitária em 6 anos”. Folha de São Paulo, 2016. Disponível em http://www1.folha.uol.com.br/mundo/2016/10/1821125-haiti-vive-pior-crisehumanitaria-em-6-anos.shtml. Acesso em 20/06/2017.

FONTOURA, Natalia Rayol. Heróis ou Vilões? O abuso e a exploração sexual por militares em missões de paz da ONU. 2009. Dissertação (Mestrado em Relações Internacionais) – Programa de Pós-Graduação em Relações Internacionais, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.

GAUTHIER, Amelie; MOITA, Madalena. “External shocks to fragile states: Building resilience in Haiti”. In: HEINE, Jorge; THOMPSON, Andrew (Orgs.). Fixing Haiti: MINUSTAH and beyond. New York: United Nations University Press, 2007.

GIANNINI, Renata. “Da política à implementação: preenchendo as lacunas para a promoção de uma abordagem de gênero no Haiti”. In: HAMMAN, Eduarda (Org.). Brasil e Haiti: Reflexões sobre os 10 anos da missão de paz e o futuro da cooperação após 2016. Rio de Janeiro: Instituto Igarapé, 2015.

HAMMAN, Eduarda. “O envolvimento de civis em contextos pós-conflito: oportunidade para a inserção internacional do Brasil”. In: KENKEL, Kai; MORAES, Rodrigo (Orgs.). O Brasil e as operações de paz em um mundo globalizado. Brasília: IPEA, 2012.

HARIG, Christoph. “Synergy between MINUSTAH and public security in Brazil”. Brasiliana, v. 3, n. 2, p. 142-168, 2015.

HUMAN RIGHTS WATCH. “Relatório Mundial 2016: Haiti: Eventos de 2015”. Human Rights Watch, 2016. Disponível em https://www.hrw.org/pt/world-report/2016/country-chapters/285575. Acesso em 16/08/2017.

JENNINGS, Kathleen M.; BØÅS, Morten. “Transactions and Interactions: Everyday Life in the Peacekeeping Economy”. Journal of Intervention and Statebuilding, v. 9, n. 3, p. 281-295, 2015.

JENNINGS, Kathleen M.; NIKOLIæ-RISTANOVIæ, Vesna. “UN Peacekeeping Economies and Local Sex Industries: Connections and Implications”. MICROCON Research Working Paper, n. 17, p. 1-29, 2009.

JOHNSTON, Lucy. “Now UN peacekeepers stand accused after 612 cases of sex abuse”. Express, 2018. Disponível em https://www.express.co.uk/news/world/920390/Sexual-abuse-UN-peacekeeperaccused-612-cases. Acesso em 12/04/2019.

KAMINSKI, Anelise Gomes Vaz. As limitações das Intervenções Humanitárias da ONU: o caso do Haiti. 2011. Dissertação (Mestrado em Sociologia Política) – Programa de Pós-Graduação em Sociologia Política, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis.

KHALILI-TARI, Daniel. “Oxfam accused of failing to warn aid agencies that employed former staff who had hired prostitutes”. Independent, 2018. Disponível em http://www.independent.co.uk/news/uk/home-news/oxfam-staff-prostitutes-haiti-charities-aid-agencies-roland-van-hauwermeirenmisconduct-report-a8204111.html. Acesso em 14/02/2018.

KOLBE, Athena R. “‘It’s Not a Gift When It Comes with Price’: A Qualitative Study of Transactional Sex between UN Peacekeepers and Haitian Citizens”. Stability: International Journal of Security & Development, v. 4, n. 1, p. 1-26, 2015.

KRONSELL, Annica. “Methods for studying silences: gender analysis in institutions of hegemonic masculinity”. In: ACKERLY, Brooke; STERN, Maria; TRUE, Jacqui. Feminist Methodologies for International Relations. Cambridge: Cambridge University Press, 2006.

LEÃO, Renata Almeida; MOURA, Joana Teresa Vaz de. “Pobreza e exploração sexual: o empoderamento como ferramenta multiplicadora no combate ao fenômeno”. In: ENCONTRO

NACIONAL DE ENSINO E PESQUISA DO CAMPO DE PÚBLICAS, 2016. Disponível em http://www.anepcp.org.br/redactor_data/20161128181143_st_02_renata_almeida_leao.pdf. Acesso em 18/09/2017.

LOPES, Hayley. “Militarized masculinity in peacekeeping operations: An obstacle to gender mainstreaming”. Eldis, 2011. Disponível em http://peacebuild.ca/Lopes%20website%20ready.pdf. Acesso em 18/09/2017.

MATIJASCIC, Vanessa. Haiti: segurança ou desenvolvimento no início dos anos 1990. Curitiba: Appris, 2014.

MUNZENRIEDER, Kyle. “Prostitutes Lured to Post-Quake Haiti by Promise of Relief Money and Aid Workers”. Miami New Times, 2010. Disponível em http://www.miaminewtimes.com/news/prostituteslured-to-post-quake-haiti-by-promise-of-relief-money-and-aid-workers-6556873. Acesso em 25/07/2017.

NAÇÕES UNIDAS BRASIL. “ONU convida Brasil a participar de missão de paz na República Centro-Africana”. Nações Unidas Brasil, 2017. Disponível em https://nacoesunidas.org/onu-convida-brasila-participar-de-missao-de-paz-republica-centro-africana. Acesso em 14/02/2018.

PANKHURST, Donna. “Sexual violence in war”. In: SHEPHERD, Laura. Gender matters in Global Politics. London: Routledge, 2010.

PERDIGÃO, Rita. O papel das mulheres no processo de Manutenção de Paz no teatro de operações do Afeganistão. 2010. Trabalho de Conclusão de Curso de Pós-Graduação (Direito) – Faculdade de Direito, Universidade de Coimbra, Coimbra. Disponível em http://www.fd.uc.pt/igc/pdf/papers/papel_mulheres.pdf. Acesso em 18/05/2017.

PEREIRA, Ana Maria. “Haiti – ‘A vida sofrida da mulher haitiana’”. Brasileiras pelo Mundo, 2015. Disponível em http://www.brasileiraspelomundo.com/haiti-a-vida-sofrida-da-mulher-haitiana-181612816. Acesso em 22/10/2017.

REZENDE, Lucas. O Engajamento do Brasil nas Operações de Paz da ONU. Curitiba: Appris, 2012.

RUBINSTEIN, Robert. “Cross-Cultural Considerations in Complex Peace Operations”. Negotiation Journal, v. 19, n. 1, p. 29-49, 2003.

SANTOS, Claudia. “Leitura de gênero sobre os estudos de segurança internacional”. Conjuntura Global, v. 4, n. 2, p. 171-184, 2015.

SCOTT, Joan. Género e Historia. Ciudad de México: FCE, 2008.

SEGUY, Franck. A catástrofe de janeiro de 2010, a “Internacional Comunitária” e a recolonização do Haiti. 2014. Tese (Doutorado em Sociologia) – Programa de Pós-Graduação em Sociologia, Universidade Estadual de Campinas, Campinas.

SHAMSIE, Yasmine; THOMPSON, Andrew. “Introduction – Haiti: Hope for a Fragile State”. In: SHAMSIE, Yasmine; THOMPSON, Andrew (Orgs.). Haiti: hope for a fragile state. Waterloo: CIGI, 2007.

SHEPHERD, Laura. Gender, Security and Violence: discourse as practice. London: Zedbooks, 2008.

SHEPHERD, Laura. Gender, UN Peacebuilding, and the politics of space. Oxford: Oxford University Press, 2018.

SJOBERG, Laura. “Introduction to Security Studies: Feminist Contributions”. Security Studies, v. 18, n. 2, p. 183-213, 2009.

SMITH, Charles Anthony; SMITH, Heather M. “Human Trafficking: The Unintended Effects of United Nations Intervention”. International Political Science Review, v. 32, n. 2, p. 125-145, 2010.

SOUZA NETO, Danilo Marcondes. “A participação e a cooperação entre os países do Cone Sul em operações de paz: o caso da MINUSTAH”. In: SVARTMAN, Eduardo; D’ARAUJO, Maria Celina; SOARES, Samuel (Orgs.). Defesa, Segurança Internacional e Forças Armadas. Campinas: Mercado das Letras, 2009.

STEANS, Jill. Gender and International Relations: an introduction. New Jersey: Rutgers University Press, 1998.

TERRA. “‘Sexo oral por biscoitos’: As denúncias de abuso sexual contra soldados e funcionários da ONU”. Terra, 06/03/2016. Disponível em https://www.terra.com.br/noticias/mundo/sexo-oral-porbiscoitos-as-denuncias-de-abuso-sexual-contra-soldados-e-funcionarios-daonu,bc43a03ca2ca6fa88f570eac0b73993e81b1s3hc.html. Acesso em 20/07/2017.

THE GUARDIAN. “Haiti death toll rises to 842 after Hurricane Matthew, reports say”. The Guardian, 2016. Disponível em https://www.theguardian.com/world/2016/oct/06/hurricane-matthew-haitirescuers-battle-reach-remote-areas. Acesso em 19/10/2017.

TICKNER, J. Ann. Gendering World Politics. New York: Columbia University Press, 2001.

UNAIDS. Progress Report on the Global Response to the HIV/AIDS Epidemic, 2003. Geneva: UNAIDS, 2003.

UN. Resolution 1529, 2004. United Nations: Security Council, 2004. Disponível em http://unscr.com/en/resolutions/doc/1529.

UNHCR. “Secretary-General’s Bulletin: Special Measure for protection from sexual exploitation and abuse”. UNHCR, 2003. Disponível em http://www.unhcr.org/protection/operations/405ac6614/secretary-generals-bulletin-special-measures-protection-sexual-exploitation.html. Acesso em 25/07/2017.

UNHCR. “Trafficking in Persons Report 2010 – Haiti”. RefWorld, 2010. Disponível em http://www.refworld.org/docid/4da54f0e1a.html. Acesso em 19/10/2017.

UNITED NATIONS. “Secretary-General Appoints Lieutenant General Carlos Alberto dos Santos Cruz of Brazil Force Commander for UN Mission in Democratic Republic of Congo”. United Nations, 2013. Disponível em https://www.un.org/press/en/2013/sga1407.doc.htm. Acesso em 14/02/2018.

WHITWORTH, Sandra. Men, militarism and UN Peacekeeping: a gendered analysis. Boulder: Lynne Rienner, 2004.

Publicado

2020-12-18

Edição

Seção

Artigos