Gênero na perspectiva decolonial: revisão integrativa no cenário latino-americano

Autores

  • Magda Dimenstein Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  • Gabriel Nascimento Silva Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  • Candida Dantas Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  • João Paulo Sales Macedo Universidade Federal do Piauí
  • Jáder Ferreira Leite Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  • Antonio Alves Filho Universidade Federal do Rio Grande do Norte

DOI:

https://doi.org/10.1590/1806-9584-2020v28n61905

Palavras-chave:

gênero, decolonialidade, América Latina

Resumo

Interessa-nos investigar as principais contribuições latino-americanas dos estudos decoloniais sobre o conceito de gênero, pois entendemos que tal conceito pode operar uma forma de colonialidade ao invisibilizar a multiplicidade de cosmovisões e práticas socioculturais que produzem relações sociais diferenciadas. Para tanto, realizamos uma revisão integrativa da produção científica sobre gênero em articulação com o pensamento decolonial no Portal de Periódicos CAPES e na Redalyc. Após o crivo de inclusão-exclusão, 35 artigos foram analisados. Os resultados apontam para: (a) negação do sujeito universal do feminismo; (b) compreensão de gênero, raça e classe como variáveis coconstitutivas; e (c) questionamento sobre a aplicação do conceito em realidades com diferentes lógicas culturais. A discussão sobre gênero na perspectiva decolonial vem se fortalecendo, especialmente no Brasil, mas ainda demanda esforços em pensar as heranças da colonialidade na atualidade.

Biografia do Autor

Candida Dantas, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Referências

ALMEIDA, Eliene Amorim; SILVA, Janssen Felipe da. “Abya Yala Como Território Epistêmico: Pensamento Decolonial Como Perspectiva Teórica”. Revista Interritórios, Caruaru, v. 1, n. 1, p. 42-64, 2015. Disponível em https://periodicos.ufpe.br/revistas/interritorios/article/view/5009. Acesso em 20/03/2018.

ALMENDRA, Javiera Cubillos. “Reflexiones sobre el proceso de investigación. Una propuesta desde el feminismo decolonial”. Athenea Digital, Barcelona, v. 14, n. 4, p. 261-285, out./dez. 2014. Disponível em https://www.raco.cat/index.php/Athenea/article/view/292060. Acesso em 18/04/2018.

ALVES, Cândida Beatriz; DELMONDEZ, Polianne. “Contribuições do Pensamento Pós-Colonial à Psicologia Política”. Psicologia Política, São Paulo, v. 15, n. 34, p. 647-661, 2015. Disponível em http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1519-549X2015000300012. Acesso em 20/03/2018.

BAHRI, Deepika. “Feminismo e/no pós-colonialismo”. Revista Estudos Feministas, Florianópolis, v. 21, n. 2, p. 659-688, 2013. Disponível em https://dx.doi.org/10.1590/S0104-026X2013000200018. Acesso em 06/03/2018.

BALLESTRIN, Luciana. “América Latina e o giro decolonial”. Revista Brasileira de Ciência Política, Brasília, v. 11, p. 89-117, maio/ago. 2013. Disponível em http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0103-33522013000200004&script=sci_arttext&tlng=es. Acesso em 18/03/2018.

BALLESTRIN, Luciana. “Feminismos Subalternos”. Revista Estudos Feministas, Florianópolis, v. 25, n. 3, p. 1035-1054, set.-dez. 2017. Disponível em http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-026X2017000301035. Acesso em 20/03/2018.

CARBONIERI, Divanize. “Pós-colonialidade e decolonialidade: rumos e trânsitos”. Revista Labirinto, Porto Velho, v. 24, n. 1, p. 280-300, jan.-jun. 2016. Disponível em http://www.periodicos.unir.br/index.php/LABIRINTO/article/view/1746. Acesso em 18/03/2018.

CRENSHAW, Kimberlé. “Documento para o encontro de especialistas em aspectos da discriminação racial relativos ao gênero”. Revista Estudos Feministas, Florianópolis, v. 10, n. 1, p. 171-188, jan. 2002. Disponível em http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0104-026X2002000100011&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em 15/05/2018.

FABBRI, Luciano. “Desprendimiento androcéntrico. Pensar la matriz colonial de poder desde los aportes de Silvia Federici y María Lugones”. Universitas Humanística, Bogotá, v. 78, p. 89-107, jul.-dez. 2014. Disponível em http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0104-026X2002000100011&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em 15/04/2018.

FANON, Frantz. Pele negra, máscaras brancas. Salvador: EDUFBA, 2008.

FAUSTINO, Deivison Mendes. “Colonialismo, racismo e luta de classes: a atualidade de Frantz Fanon”. In: V SIMPÓSIO INTERNACIONAL LUTAS SOCIAIS NA AMÉRICA LATINA. “REVOLUÇÕES NAS AMÉRICAS: PASSADO, PRESENTE E FUTURO”. Anais... Londrina, 2013, p. 216-232. Disponível em http://www.uel.br/grupo-pesquisa/gepal/v16_deivison_GI.pdf. Acesso em 29/08/2018.

FISCHER, Stela. “Mulheres, performance e ativismo feministas decoloniais”. In: SEMINÁRIO INTERNACIONAL FAZENDO GÊNERO 11 & 13th WOMEN’S WORLDS CONGRESS, 2017. Florianópolis, UFSC. Anais... Florianópolis: UFSC/Instituto de Estudos de Gênero, 2017. p. 1-10. Disponível em http://www.wwc2017.eventos.dype.com.br/resources/anais/1498851059_ARQUIVO_Fazendo_Genero_2017.pdf. Acesso em 19/07/2019.

GOMES, Camilla de Magalhães. “Constituição e feminismo entre gênero, raça e direito: das possibilidades de uma hermenêutica constitucional antiessencialista e decolonial”. Revista História: Debates e Tendências, Passo Fundo, v. 18, n. 3, p. 343-365, 2018a.

GOMES, Camilla de Magalhães. “Gênero como categoria de análise decolonial”. Civitas-Revista de Ciências Sociais, Porto Alegre, v. 18, n. 1, p. 65-82, jan.-abr. 2018b. Disponível em http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1519-60892018000100065&lng=en&nrm=iso&tlng=pt. Acesso em 26/08/2018.

JARDIM, Gabriel de Sena; CAVAS, Claudio São Thiago. “Pós-colonialismo e feminismo decolonial: caminhos para uma compreensão anti-essencialista do mundo”. Ponto-e-Vírgula: Revista de Ciências Sociais, São Paulo, v. 22, p. 73-91, jul.-dez. 2017. Disponível em https://revistas.pucsp.br/pontoevirgula/article/view/33335. Acesso em 19/07/2019.

KERGOAT, Danièle. “Dinâmica e consubstancialidade das relações sociais”. Novos estudos CEBRAP, São Paulo, n. 86, p. 93-103, mar. 2010. Disponível em http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-33002010000100005. Acesso em 19/07/2018.

LEAL, Mara Lucia; ALCURE, Adriana Schneider; BACELAR, Camila Bastos; AZEVEDO, Maria Thereza. “Pedagogias feministas e de(s)coloniais nas artes da vida”. OuvirOUver, Uberlândia, v. 13, n. 1, p. 24-39, 2017. Disponível em http://www.seer.ufu.br/index.php/ouvirouver/article/view/36982. Acesso em 19/04/2018.

LUGONES, María. “Colonialidad y Género”. Tabula rasa, Bogotá, v. 9, p. 75-101, jul.-dez. 2008. Disponível em http://www.revistatabularasa.org/numero-9/05lugones.pdf. Acesso em 03/04/2018.

LUGONES, María. “Rumo a um feminismo descolonial”. Revista Estudos Feministas, Florianópolis, v. 22, n. 3, p. 935-952, set.-dez. 2014. Disponível em http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=38132698013. Acesso em 03/04/2018.

MACIAZEKI-GOMES, Rita de Cássia; NOGUEIRA, Conceição; TONELI, Maria Juracy. “Mulheres em contextos rurais: um mapeamento sobre gênero e ruralidade”. Psicologia & Sociedade, Belo Horizonte, v. 28, n. 1, p. 115-124, jan.-abr. 2016. Disponível em http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-71822016000100115&lng=en&nrm=iso&tlng=pt. Acesso em 03/08/2018.

MARTINS, Paulo Henrique; BENZAQUEN, Júlia Figueredo. “Uma proposta de matriz metodológica para os estudos descoloniais”. Revista Cadernos de Ciências Sociais da UFRPE, Recife, v. 2, n. 11, p. 10-31, ago-dez. 2017. Disponível em http://www.journals.ufrpe.br/index.php/cadernosdecienciassociais/article/view/1882. Acesso em 05/03/2018.

MEDINA MARTÍN, Rocío. “Feminismos periféricos, feminismos-otros: una genealogía feminista decolonial por reivindicar”. Revista internacional de pensamiento político, Huelva, v. 8, p. 53-79, 2013. Disponível em http://rabida.uhu.es/dspace/handle/10272/8221. Acesso em 03/04/2018.

MEDINA MARTÍN, Rocío. “Mujeres Saharauis, Colonialidad del Género y Nacionalismos: un acercamiento a partir de los feminismos decoloniales”. Relaciones Internacionales, Madrid, v. 27, p. 13-34, 2014.

NIETZSCHE, Friedrich. Além do Bem e do Mal: Prelúdio a uma Filosofia do Futuro. São Paulo: Companhia das Letras, 1992. (Obra originalmente publicada em 1887)

PELÚCIO, Larissa. “Subalterno quem, cara pálida? Apontamentos às margens sobre póscolonialismos, feminismos e estudos queer”. Contemporânea – Revista de Sociologia da UFSCar, São Carlos, v. 2, n. 2, p. 395-418, 2012. Disponível em http://www.contemporanea.ufscar.br/index.php/contemporanea/article/view/89/54. Acesso em 05/05/2018.

PÉREZ FLORES, Larisa. “Cuerpos y desplazamientos. Retos feministas en un marco pos/decolonial”. Cuadernos Intercambio sobre Centroamérica y el Caribe, San José, v. 12, n. 1, p. 97-115, 2015. Disponível em https://dialnet.unirioja.es/servlet/articulo?codigo=5088964. Acesso em 28/04/2018.

PISCITELLI, Adriana. “Atravessando fronteiras: teorias pós-coloniais e leituras antropológicas sobre feminismos, gênero e mercados do sexo no Brasil”. Revista Semestral do Departamento e do Programa de Pós-Graduação em Sociologia da UFSCar, São Carlos, v. 3, n. 2, p. 377-404, 2013. Disponível em http://www.contemporanea.ufscar.br/index.php/contemporanea/article/view/160. Acesso em 05/05/2018.

QUIJANO, Aníbal. “Colonialidade do poder, eurocentrismo e América Latina”. In: LANDER, Edgardo (Org.). A colonialidade do saber: eurocentrismo e ciências sociais. Buenos Aires: CLACSO, 2005. p. 107-130.

RIBEIRO, Djamila. “Feminismo Negro para um novo marco civilizatório”. SUR 24, v. 13, n. 24, p. 99-104, dez. 2016. Disponível em https://sur.conectas.org/wp-content/uploads/2017/02/9-sur-24-pordjamila-ribeiro.pdf. Acesso em 21/07/2019.

SANTOS, Boaventura de Sousa. “Para além do Pensamento Abissal: das linhas globais a uma ecologia de saberes”. In: SANTOS, Boaventura de Sousa; MENESES, Maria Paula (Orgs.). Epistemologias do Sul. Coimbra: Almedina, 2009. p. 23-71.

SANTOS, Gustavo Gomes da Costa; SILVA, Marcos de Araújo. “Gênero, sexualidade e póscolonialidade: Apontamentos para uma agenda de pesquisa”. Revista de Estudos AntiUtilitaristas e PosColoniais, Recife, v. 4, n. 1, p. 5-19, 2014. Disponível em https://periodicos.ufpe.br/revistas/realis/article/view/8805. Acesso em 15/04/2018.

SANTOS, Luciane Lucas dos. “Deve a economia feminista ser pós-colonial? Colonialidade económica, género e epistemologias do Sul”. Revista Crítica de Ciências Sociais, Coimbra, n. 114, p. 161-186, 2017. Disponível em https://journals.openedition.org/rccs/6797. Acesso em 15/04/2018.

SOUZA, Marcela Tavares de; SILVA, Michelly Dias da; CARVALHO, Rachel de. “Revisão integrativa: o que é e como fazer”. Einstein (São Paulo), São Paulo, v. 8, n. 1, p. 102-106, 2010. Disponível em http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1679-45082010000100102&script=sci_arttext&tlng=pt. Acesso em 20/06/2018.

Downloads

Publicado

2020-12-18

Edição

Seção

Artigos