Experiência e família na literatura de Ana Castillo

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/1806-9584-2020v28n67523

Palavras-chave:

feminismo, raça, sexualidade, chicana

Resumo

A autora Chicana Ana Castillo aborda constantemente em suas obras – poemas, romances e ensaios – temas envolvendo questões de gênero, sexualidade, raça e etnia. Sua última publicação, Black Dove: Mamá, Mi'jo and Me (2016), é uma coleção de ensaios autobiográficos sobre a história de sua família, desde seus avós até a sua experiência como mãe. Ao reconstituir essas histórias, a autora também remonta a relação fronteiriça e de poder entre os Estados Unidos e o México. Além de cruzar as fronteiras territoriais entre os países, a obra também cruza fronteiras de linguagem, de gêneros literários  e de tempo. O livro é composto por 17 ensaios atravessados pela experiência de Castillo como uma mulher racializada, bissexual, de origem latino-americana, vivendo em uma sociedade machista, branca, imperialista e hegemônica. Através da experiência coletiva da comunidade Chicana, ela exerce o seu direito de lembrar quem é, de onde veio e de traçar caminhos alternativos daqueles previamente definidos para uma mulher racializada, latina, que vive nos Estados Unidos. 

Biografia do Autor

Thayse Madella, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

Programa de Pós-Graduação em Inglês (PPGI)

Área de Estudos Literários e Culturais

Referências

ANZALDÚA, Gloria. Borderlands/La Frontera: The New Mestiza (1987). San Francisco: Aunt Lute, 2007.

CASTILLO, Ana. Black Dove: Mama, Mi’jo, and Me. New York: The Feminist Press, 2016.

MORAGA, Cherrie. A Xicana Codex of Changing Consciousness: Writings, 2000-2010. Durham: Duke University Press, 2011.

Downloads

Publicado

2020-12-18

Edição

Seção

Resenhas