O Ativismo Católico: Bioética, Direitos Reprodutivos e Gênero

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/1806-9584-2021v29n371678

Palavras-chave:

Igreja Católica, Gênero, Bioética, Direitos sexuais e reprodutivos

Resumo

Neste artigo, acompanharemos o processo de formação do ativismo católico antidireitos sexuais e reprodutivos e antigênero na Igreja Católica, descrevendo alguns de seus momentos e características centrais. Retraçaremos as linhas da política institucional instituída pelo Vaticano que culminaram na explosão militante católica contrária a esses temas. Analisaremos desde a organização da ofensiva doutrinária e acadêmico-científica, marcada pela produção de concepções teológicas e pela sua defesa em termos não doutrinais, mas científicos, jurídicos e filosóficos por experts vinculados à Igreja Católica, até a organização da ofensiva pastoral, centrada na difusão das categorias antidireitos sexuais e reprodutivos e antigênero por meio de todo o aparato institucional da Igreja, desde seu topo até suas bases.

Biografia do Autor

Lilian Sales, Universidade Federal de São Paulo

Lilian Sales (lilian.sales@unifesp.br) é Professora Adjunta de Antropologia na Universidade Federal de São Paulo. Mestre e Doutora em Antropologia Social pela USP.

Referências

BÉRAUD, Céline. “Les catholiques contre le genre. Le episode des manueles de SVT”. In: ROCHEFORT, Florence; SANNA, Maria Eleonora (Orgs.). Normes Religieuses et Genre. Paris: Armand Colin/Recherches, 2013. p. 109-121.

BURGGRAF, Jutta. Hacia un nuevo feminismo para el Siglo XXI. San Jose: Promesa, 2001.

CARNAC, Romain. “S’adapter pour mieux résister: la théologie de la sexualité de Jean-Paul II”. In: ROCHEFORT, Florence; SANNA, Maria Eleonora (Orgs.). Normes Religieuses et Genre . Paris: Armand Colin/Recherches, 2013. p. 97-108.

CLAVERIE, Elisabeth. “Parcours politique d’une apparition: Le cas de Lourdes”. In: Archives des Sciences Sociales des Religions, Paris, v. 145, 2009.

CNBB. “Campanha da Fraternidade 2008”. CNBB, 2008. Disponível em https://campanhas.cnbb.org.br/wp-content/uploads/2015/03/textobase1.pdf. Acesso em 15/01/2018.

CONFERÊNCIA EPISCOPAL PERUANA. “A ideologia do gênero: seus perigos e alcances”. Canção Nova, 2008. Disponível em https://img.cancaonova.com/noticias/pdf/281960_IdeologiaDeGenero_PerigosEAlcances_ConferenciaEpiscopalPeruana.pdf.

CORRÊA, Sonia. “A ‘política do gênero’: um comentário genealógico”. Cadernos Pagu, Campinas, n. 53, 2018. e185301.

CONSELHO PONTIFÍCIO PARA A FAMÍLIA. Lexicon: termos ambíguos e discutidos sobre família, vida e questões éticas. Rio de Janeiro: Edições CNBB, 2003.

DOBBELAERE, Karel; PÉREZ-AGOTE, Alfonso. The Intimate: Laws about Life, Death and the Family in So-called Catholic Countries. Leuven: Leuven University Press, 2015.

GARBAGNOLI, Sara; PREARO, Maxime. La croisade anti-genre. Du Vatican aux manifs pour tous. Paris: Editions Textual, 2017.

HARRIS, Ruth. Lourdes. Paris: Jean Claude Lattes, 2001.

HODGSON, Dennis; WATKINS, Susan. “Feminists and neo-Malthusians: Past and present alliances”. Population and Development Review, v. 23, n. 3, p. 469-523, September 1997.

IRRAZÁBAL, Gabriela. “Bioética y catolicismo. Dificultades en torno a la constitución de una identidad colectiva”. Religião & Sociedade, Rio de Janeiro, v. 30, n. 1, p. 101-116, 2010.

JOÃO PAULO II. Exortação Apostólica Familiaris Consortio. São Paulo: Paulinas, 1981.

JOÃO PAULO II. Mulieris Dignitatem. Lettera Apostolica sulla dignità e vocazione della donna in occasione dell’anno mariano. São Paulo: Paulinas, 1988.

JOÃO PAULO II. Carta às mulheres. São Paulo: Paulus, 1995a.

JOÃO PAULO II. Carta Encíclica Evangelium Vitae (Sobre o valor e a inviolabilidade da vida humana). São Paulo: Loyola, 1995b.

KALIL, Álex. “Do religioso ao civil: Reconfigurações da Ideologia de Gênero no Espaço Público”. Revista Pensata, Guarulhos, v. 7, p. 21-41, 2018.

LUNA, Naara. “Embriões no Supremo: Ética, Religião e Ciência no Tribunal”. Teoria e Sociedade, Porto Alegre, n. 18, p. 168-203, 2010.

LUNA, Naara. “O direito à vida no contexto do aborto e da pesquisa com células-tronco embrionárias: disputas de agentes e valores religiosos em um Estado laico”. Religião & Sociedade, Rio de Janeiro, v. 1, n. 33, p. 71-97, 2013.

LUNA, Naara. “O julgamento no Supremo do aborto de anencéfalo - ADPF 54: uma etnografia da religião no espaço público”. Horizontes Antropológicos, Porto Alegre, n. 52, p. 165-197, 2018.

MACHADO, Maria das Dores. “Religião e política no Brasil contemporâneo: uma análise de pentecostais e carismáticos católicos”. Religião & Sociedade, Rio de Janeiro, v. 35, n. 2, p. 45-72, 2015.

MACHADO, Maria das Dores. “O discurso cristão sobre a ideologia de gênero”. Revista Estudos Feministas, Florianópolis, v. 26, n. 2, p. 447-463, 2018.

MEIRA, Leandro. “Ideologia de Gênero: saiba mais e conheça riscos para a sociedade”. Canção Nova, 2011. Disponível em https://noticias.cancaonova.com/brasil/ideologia-de-genero-saiba-mais-e-conheca-riscos-para-a-sociedade/.

MISKOLCI, Richard; CAMPANA, Maximiliano. “‘Ideologia de gênero’: notas para a genealogia de um pânico moral contemporâneo”. Sociedade e Estado, v. 32, n. 3, p. 725-747, 2017.

O’LEARY, Dale. The Gender Agenda: Redefining Equality. Lafayette: Vital Issues Press, 1997.

OLIVEIRA, Luciano. “A mobilização e a contramobilização em torno do aborto - os enfrentamentos entre feministas e representantes do Vaticano na Conferência do Cairo de 1994”. Pensata, 2018. Disponível em https://periodicos.unifesp.br/index.php/pensata/article/view/10096.

PAULO VI. Carta Encíclica Humanae Vitae. São Paulo: Editora Paulinas, 2001.

PORTIER, Philippe. Droit, éthique et religion. De l’âge théologique à l’âge bioéthique. Paris: Bruyant, 2012.

RATZINGER, Joseph. O Sal da Terra: o Cristianismo e a Igreja Católica no século XXI: um diálogo com Peter Seewald. Rio de Janeiro: Imago Editora, 2005.

ROSADO-NUNES, Maria José. “Gênero: uma questão incômoda para as religiões”. In: SOUZA, Sandra Duarte; DOS SANTOS, Naira Pinheiro. Estudos Feministas e Religião: Tendências e Debates. Curitiba: Prismas; Universidade Metodista, 2014. p. 129-147.

SALES, Lilian. “A controvérsia em torno da liberação de pesquisas com células-tronco embrionárias no Brasil: posições e argumentos dos representantes da Igreja Católica”. Revista de Antropologia, São Paulo, v. 57, n. 1, p. 179-213, 2014.

SALES, Lilian. “‘Em defesa da vida humana’: moralidades em disputa em duas audiências públicas do STF”. Religião & Sociedade, Rio de Janeiro, v. 35, p. 143-164, 2015.

TURINNA, Isacco. “Le Magistere post-conciliare face au Biopouvoir”. In: BÉRAUD, Céline; GUGELOT Frédéric; SAINT MARTIN, Isabelle (Orgs.). Catholicisme en tension. Paris: Les Éditions de l’EHESS, 2012.

VAGGIONE, Juan. “La Iglesia Católica frente a la política sexual”. Cadernos Pagu, n. 50, 2017. e175001.

Downloads

Publicado

2021-12-10

Edição

Seção

Artigos