Outras formas de dizer o hiv e a aids

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/1806-9584-2021v29n374662

Biografia do Autor

Arthur Vinicius Anorozo Nunes, Universidade Federal de Santa Catarina

Doutorando em Linguística pela Universidade Federal de Santa Catarina. Mestre em em Linguística pela Universidade Federal de Santa Catarina. Possui graduação em Letras (português/inglês) pela Universidade de Taubaté e especialização em Ensino de Língua Inglesa e Uso de Novas Tecnologias  pela Universidade Gama Filho. Atualmente, é membro do GP Grupo de Estudos no Campo Discursivo (CNPq |UFSC).

Atilio Butturi Junior, Universidade Federal de Santa Catarina

Atilio Butturi Junior é graduado em Letras pela Universidade Estadual de Ponta Grossa (2004), Mestre (2008) e Doutor (2012) em Linguística pela Universidade Federal de Santa Catarina. Realizou estágio pós-doutoral no IEL/UNICAMP (2014-2015), sob supervisão do Prof. Dr. Kanavilil Rajagopalan, e estágio pós-doutoral na Faculdade de Filosofia da Ciência da Universidade Nova de Lisboa (2017-2018), com bolsa da CAPES-Brasil, sob supervisão do Prof. Dr. José Luís Câmara Leme. É professor Adjunto da Universidade Federal de Santa Catarina (da área de Linguística Aplicada, líder do Grupo de Estudos no Campo Discursivo (UFSC CNPq) e membro do Grupo de Pesquisa A condição Corporal (PUC-SP CNPq) e do Núcleo de Estudos em Linguística Aplicada (NELA UFSC CNPq). Desde 2015, é editor-chefe da revista Fórum Linguístico, docente do Programa de Pós-Graduação em Linguística da UFSC (que coordenou entre 2018 e 2020) e do Programa Interdisciplinar em Ciências Humanas da UFFS. É, atualmente, bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq (PQ2).

Referências

ABREU, Caio Fernando. Pequenas Epifanias. Rio de Janeiro: Agir, 2006.

ARTIÈRES, Philippe. “Archives en danger: les archives des associations de luttes contre le sida”. La Gazette des Archives, Nantes, n. 194, p. 106-116, 2004.

BESSA, Marcelo. Os perigosos: autobiografia e AIDS. Rio de Janeiro: Aeroplano, 2002.

BUTLER, Judith. Quadros de guerra: quando a vida é passível de luto. 2. ed. Trad. de Sérgio Lamarão e Arnaldo Marque da Cunha. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2016.

BUTTURI JUNIOR, Atilio. “As formas de subjetividade e o dispositivo da aids no Brasil contemporâneo: disciplinas, biopolítica e phármakon”. In: AQUINO, Ivânia Campigotto et al. (org.). Língua, literatura, cultura e identidade: entrelaçando conceitos. Passo Fundo: UPF, 2016. p. 59-78.

DANIEL, Herbert. “O primeiro AZT a gente nunca esquece”. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 30 set. 1990.

MELLO, Ramon Nunes (org.). Tente entender o que tento dizer: poesia + hiv/aids. Rio de Janeiro: Bazar do tempo, 2018.

MELLO, Ramon Nunes. “O sentido de urgência: a necessidade de conversar sobre o HIV”. Carta Capital, 1 dez. 2015. Disponível em: https://www.cartacapital.com.br/sociedade/o-sentido-de-urgencia-a-necessidade-de-se-conversar-sobre-o-hiv-9676/. Acesso em 31/08/2020.

NUNES, Arthur. A ressignificação discursiva do hiv e a (des)subjetivação do sujeito soropositivo. 2018. Mestrado (Programa de Pós-Graduação em Linguística) - Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2018.

PATTON, Cindy. Inventing aids. Londres: Routledge, 1991.

PERLONGHER, Néstor. O que é AIDS. 2.ed. São Paulo: Brasiliense, 1987.

TREICHLER, Paula A. AIDS, Homophobia, and biomedical discourse: an epidemic of signification. The MIT Press, v. 47, p. 31-70, 1987.

Downloads

Publicado

2021-12-10

Edição

Seção

Resenhas