O corpo e a carne: uma leitura das obras Vida de Santo Domingo de Silos e Vida de Santa Oria a partir da categoria gênero

Andréia Cristina Lopes Frazão da Silva

Resumo


Baseado na proposição do pós-estruturalismo, adotada por Joan Scott, de que “os significados não são fixos no léxico de uma cultura”, o presente artigo tem como objetivo discutir, usando a categoria de gênero, os significados de duas palavras espanholas medievais – cuerpo e carne – em textos hagiográficos que foram escritos por Gonzalo de Berceo na primeira a metade do século XIII, Vida de Santo Domingo de Silos e Vida de Santa Oria. Queremos verificar, procurando ambigüidades e conflitos, como a categoria gênero é articulada às concepções de Berceo sobre o corpo e a carne.


Palavras-chave


Idade Média; gênero; hagiografia; corpo; carne

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.1590/S0104-026X2006000200004

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 Licença Creative Commons
A Revista Estudos Feministas está sob a licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

 

Revista Estudos Feministas, ISSN 1806-9584, Florianópolis, Brasil.