Mulheres migrantes no passado e no presente: gênero, redes sociais e migração internacional

Gláucia de Oliveira Assis

Resumo


Este artigo pretende analisar a inserção das mulheres nos fluxos migratórios do passado e do presente, procurando demonstrar que a migração não é resultado apenas de uma escolha racional, mas também de estratégias familiares nas quais homens e mulheres estão inseridos, contribuindo para rearranjos das relações familiares e de gênero. Para tanto, discute como a participação das mulheres foi analisada nos fluxos migratórios e aborda o recente movimento de brasileiros para o exterior, descrevendo as trajetórias de homens e mulheres. O trabalho de campo, tal como a vida desses migrantes, dividiu-se entre dois lugares: a cidade de Criciúma (SC), no Brasil, e a região de Boston, nos Estados Unidos. Os dados coletados a partir das entrevistas e da observação participante têm revelado que as mulheres participam efetivamente desse processo, integrando e articulando redes de migração. Os dados também sugerem que a migração provoca rearranjos familiares e de gênero ao longo do processo.


Palavras-chave


emigrantes brasileiros; gênero; migração internacional; redes familiares

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.1590/S0104-026X2007000300015

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 Licença Creative Commons
A Revista Estudos Feministas está sob a licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

 

Revista Estudos Feministas, ISSN 1806-9584, Florianópolis, Brasil.