Pesquisas de usos do tempo: um instrumento para aferir as desigualdades de gênero

Daniela Peixoto Ramos

Resumo


Busca-se, neste artigo, analisar a interface entre desigualdades de gênero e usos do tempo, situando esta análise na perspectiva do desenvolvimento das pesquisas de usos do tempo e observando como se materializa nos indicadores que compõem o Retrato das desigualdades de gênero e raça. Inicialmente, são caracterizadas as pesquisas de usos do tempo, recuperando-se um pouco de seu histórico e estágio atual. Discute-se, também, a perspectiva teórica que enfatiza o gênero como categoria central para análise dos usos do tempo. Apresentam-se alguns dos principais resultados encontrados por pesquisas de usos do tempo em nível internacional e enfatizam-se os indicadores de usos do tempo produzidos a partir da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios. Finalmente, sugere-se que as pesquisas de usos do tempo podem contribuir para o fomento de políticas públicas destinadas a combater as desigualdades de gênero.


Palavras-chave


Uso do Tempo; Gênero; Desigualdade; Trabalho Não Remunerado

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.1590/S0104-026X2009000300014

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 Licença Creative Commons
A Revista Estudos Feministas está sob a licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

 

Revista Estudos Feministas, ISSN 1806-9584, Florianópolis, Brasil.