Ativismo artístico: engajamento político e questões de gênero na obra de Barbara Kruger

Autores

  • Lina Alves Arruda Universidade Estadual de Campinas
  • Maria de Fátima Morethy Couto Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.1590/S0104-026X2011000200005

Palavras-chave:

Barbara Kruger, Arte Engajada, Feminismo, Arte Contemporânea

Resumo

O presente artigo introduz e contextualiza as primeiras manifestações feministas que compuseram o panorama artístico do final da década de 1960 até 1980. São analisadas as circunstâncias históricas (incluindo a história da arte) que facilitaram a ponte entre as esferas da arte e da política, bem como os problemas formais e estéticos que a prática artística ativista apresentou e sua recepção como movimento. Para tanto, nos basearemos no trabalho da artista norte-americana Barbara Kruger, que produziu obras fundamentais para a consolidação da arte feminista, abordando criticamente uma ampla variedade de temas relacionados à mulher (violência, aborto, identidade, papel social, estética). O conteúdo das obras de Kruger está em sintonia com importantes circunstâncias políticas e temas sociais  contemporâneos à sua produção e estabelece relação direta com teorias feministas da época, permitindo uma análise do contexto artístico e sócio-político do período.

Biografia do Autor

Lina Alves Arruda, Universidade Estadual de Campinas

É formada em Artes Visuais pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) e Universidad Politécnica de Valencia, Espanha. Realizou a iniciação científica “Análise das obras de Barbara Kruger” orientada pela Prof.a Dr.a Maria de Fátima Morethy Couto e financiada pelo PIBIC em 2008. Desenvolve
atualmente, na Universidade de São Paulo (USP), a pesquisa de mestrado “Estratégias desconstrutivas: a crítica feminista da representação”.

Maria de Fátima Morethy Couto, Universidade Estadual de Campinas

É doutora em História da Arte pela Universidade de Paris I – Panthéon/Sorbonne, professora do Departamento de Artes Plásticas do Instituto de Artes da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) e pesquisadora do CNPq. Foi bolsista de pós-doutorado da Fapesp de 1999 a 2002, desenvolvendo pesquisa sobre a crítica de arte de vanguarda no Brasil e nos Estados Unidos durante as décadas de 1940 e 1960. Parte dessa pesquisa foi publicada em 2004 pela Editora da UNICAMP (Por uma vanguarda nacional. A crítica brasileira em busca de uma identidade artística – 1940/1960). É coautora do livro ABCdaire Cézanne (Paris: Flammarion, 1995) e autora de diversos artigos dedicados à arte brasileira do século XX e à crítica de vanguarda.

Downloads

Publicado

2011-01-01

Edição

Seção

Artigos