Práticas pedagógicas reprodutoras de desigualdades: a subrepresentação de meninas entre alunos superdotados

Autores

  • Ana Paula Poças Zambelli dos Reis Universidade Católica de Brasília
  • Candido Alberto da Costa Gomes Universidade Católica de Brasília

DOI:

https://doi.org/10.1590/S0104-026X2011000200013

Palavras-chave:

Gênero, Estereótipo, Superdotação, Educação Especial

Resumo

Muitos indicadores do Brasil e da América Latina mostram que ambos estão muito próximos da meta de paridade de gêneros da Educação para Todos. Entretanto, esmiuçando as estatísticas, encontram-se nichos nos quais as meninas são tratadas diferentemente, com base em preconceitos e estereótipos. Esse é o caso de um sistema de ensino em que as alunas são sub-representadas no seu Programa de Atendimento ao Aluno com Altas Habilidades/Superdotação. A presente pesquisa investigou os critérios para identificar e encaminhar esses alunos. Com base em dados especialmente tabulados, foi selecionada a área geográfica com a menor representação de alunas, onde se realizaram entrevistas semiestruturadas com os profissionais do ensino regular, responsáveis pela indicação dos alunos, e com os profissionais do Programa. Após cada entrevista, foi entregue um formulário, em forma de check-list, com as características e/ou comportamentos que podem ser evidenciados nos alunos e nas alunas identificados como superdotados. A análise revelou que a subestimativa dos talentos femininos ocorre na seleção e na indicação de discentes pelos professores do ensino regular, quando as meninas são vistas pelas lentes de estereótipos, com a internalização de imagens de inferioridade pelas/os próprias/os professoras/es, em ampla maioria mulheres. Entretanto, os professores e os psicólogos do Programa evidenciaram ter compreensão da paridade de gênero e do conceito de altas habilidades/superdotados, esse coerente com a literatura. Assim, a sub-representação de meninas surge antes da porta de entrada, devendo os professores do ensino regular ser adequadamente preparados para realizar as indicações.

Biografia do Autor

Ana Paula Poças Zambelli dos Reis, Universidade Católica de Brasília

É professora da Secretaria de Estado da Educação do Distrito Federal (SEEDF). Possui mestrado em Educação pela Universidade Católica de Brasília (UCB) com estudos nas áreas de gênero e altas habilidades/superdotação. Atuou como coordenadora do Programa de Atendimento ao Aluno com Altas Habilidades/Superdotação da SEEDF e como docente em cursos da EAPE – Escola de Aperfeiçoamento dos Profissionais da SEEDF.

Candido Alberto da Costa Gomes, Universidade Católica de Brasília

Possui graduação em Ciências Sociais pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ, 1968), mestrado em Sociologia pelo Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro (1977) e doutorado no Doctoral Programme in Education (PhD) pela University of California, Los Angeles, Graduate School of Education (1983). Atualmente é professor titular da Universidade Católica de Brasília (UCB), membro do corpo editorial da revista Ensaio. Avaliação e Políticas Públicas em Educação e membro do corpo editorial da Revista Brasileira de Administração da Educação. Coordena a Cátedra UNESCO de Juventude, Educação e Sociedade da UCB.

Downloads

Publicado

2011-01-01

Edição

Seção

Dossiê