Cooperativismo: uma experiência feminina na arte de produzir conquistas

Autores

  • Michelle da Silva Lima Universidade Federal Fluminense

DOI:

https://doi.org/10.1590/S0104-026X2012000100012

Palavras-chave:

Cooperativismo, Classes Trabalhadoras, Relações de Gênero, Liderança Feminina

Resumo

Neste trabalho busco analisar formas de mobilização feminina a partir de uma cooperativa habitacional cujas famílias cooperadas podem ser classificadas como membros das classes trabalhadoras. Essa cooperativa contou com apoio financeiro e técnico de uma ONG que a organizou por meio do regime de mutirão familiar da mão de obra para a construção de casas próprias. O cooperativismo proposto como nova forma de organização política e econômica da sociedade investe no poder de articulação coletiva acumulada na história das classes trabalhadoras. Ao atualizar princípios socioculturais importantes, como o espírito de solidariedade e a articulação da rede de sociabilidade, as mulheres cooperadas passaram a participar de tarefas tradicionalmente masculinas e a exercer um poder de liderança sutil e criativa, conferindo um sentido específico de coletividade ao grupo de famílias.

Biografia do Autor

Michelle da Silva Lima, Universidade Federal Fluminense

É doutora em Antropologia pela Universidade Federal Fluminense (UFF), com experiência nas áreas de transmissão de patrimônios culturais entre trabalhadores e etnografia urbana, atuando principalmente nos seguintes temas: família e rede de sociabilidade, relações de gênero, transmissão de saberes, habitação e cooperativismo.

Downloads

Publicado

2012-05-24

Edição

Seção

Artigos