Entre percursos e discursos identitários: etnicidade, classe e género na cultura hip-hop

José Alberto Simões

Resumo


Com o presente artigo pretende-se abordar o modo como a chamada cultura hiphop,ainda que propagada globalmente, pode ser adoptada e adaptada ao nível local,produzindo desta forma simultaneamente convergência e divergência cultural. O foco destaanálise será o percurso e a construção identitária de diversos protagonistas desta cultura, emtorno de três dimensões interligadas: a etnicidade, a classe e o género. Para além de umadiscussão teórica inicial sobre o modo como estas dimensões têm sido abordadas, pretendeseapresentar igualmente dados empíricos provenientes de uma pesquisa etnográfica realizadaem Portugal, mais especificamente na área metropolitana da cidade de Lisboa. As conclusõesa que se chegaram, ainda que específicas e contextuais, apresentam afinidades com outrassobre fenómenos idênticos, revelando-se importantes para a compreensão destas práticas erespectivas interpretações em diferentes contextos nacionais.


Palavras-chave


Cultura Hip-hop; Identidade; Classe; Etnicidade; Gênero

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.1590/S0104-026X2013000100006

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 Licença Creative Commons
A Revista Estudos Feministas está sob a licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

 

Revista Estudos Feministas, ISSN 1806-9584, Florianópolis, Brasil.