A organização das mulheres extrativistas na região Sudoeste mato-grossense, Brasil

Maurício Ferreira Mendes, Sandra Mara Alves da Silva Neves, Ronaldo José Neves, Tânia Paula da Silva

Resumo


Culturalmente a região Sudoeste mato-grossense é diversa, podendo ser atribuída à existência de populações migrantes e às comunidades tradicionais. Objetivou-se discutir a organização das mulheres do campo na região Sudoeste mato-grossense, que obtêm sua remuneração e contribuem para o aumento da renda familiar através do extrativismo sustentável de frutos nativos do Cerrado (Savana). O delineamento utilizado foi o estudo de caso. Os recursos financeiros obtidos pelas mulheres são expressivos e têm contribuído de maneira significativa para a sobrevivência do grupo familiar, como também para o reconhecimento de sua força de trabalho e na conquista de cidadania. Entretanto, as políticas públicas precisam ser ajustadas de modo a valorizar o trabalho das mulheres para a produção e reprodução familiar no campo e sua contribuição social no desenvolvimento regional.


Palavras-chave


Agricultura Familiar; Biodiversidade; Gênero; Renda

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.1590/S0104-026X2014000100005

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 Licença Creative Commons
A Revista Estudos Feministas está sob a licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

 

Revista Estudos Feministas, ISSN 1806-9584, Florianópolis, Brasil.