Pintura, memória e história: a pintura histórica e a construção de uma memória nacional

Isis Pimentel de Castro

Resumo


A pintura histórica alcançou no século XIX importante lugar no projeto político do Segundo Reinado, devido ao trabalho realizado por Araujo Porto-Alegre, durante a Reforma Pedreira. Esse gênero artístico foi responsável pela formação de uma memória nacional e mantinha intenso diálogo com a produção do Instituto Historico e Geográfico Brasileiro (IHGB). A pintura histórica foi essencial na construção de uma identidade nacional, porque por meio dela forjou-se um passado épico e monumental, em que toda a população pudesse se sentir representada nos eventos gloriosos da história nacional. O trabalho de Porto-Alegre como crítico de arte e diretor da Academia Imperial de Belas Artes (AIBA) possibilitou a visibilidadeda pintura histórica com seus pintores oficiais, Pedro Americo e Victor Meirelles.

Palavras-chave


Pintura histórica; Araújo Porto-alegre; Arte brasileira

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/%25x

Direitos autorais 2005 Isis Pimentel de Castro

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

R. Ci. Hum. Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil, ISSNe 2178-4582

Creative Commons License Todo o conteúdo do periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons

 

.