Epônimos e o consórcio intelectual entre ciência e literatura

Autores

  • Rogerio F. Guerra Professor-Titular e Editor da Revista de Universidade Federal de Santa Catarina Ciências Humanas. Endereço para correspondências: Universidade Federal de Santa Catarina, Departamento de Psicologia, Campus Universitário, Florianópolis, SC, 88040-970

DOI:

https://doi.org/10.5007/2178-4582.2010v44n2p485

Palavras-chave:

Ciência e literatura, Diários e biografias, Epidemias, Doença mental, Epônimos

Resumo

Alguns escritores recorrem ao conhecimento cientifico para descrever as doenças e enfermidades mentais de seus personagens. Tal procedimento  melhora a qualidade literária dos textos, como atestam obras clássicas de  Leon Tolstoi (A morte de Ivan Ilitch, 1886) e Thomas Mann (The black  swan, 1953), por exemplo; alguns escritores brasileiros também descreveram distúrbios da personalidade, efeitos sociais de doenças tropicais e a gênese do fanatismo religioso (e.g., Lima Barreto, J. Guimarães Rosa e Euclydes da Cunha). Por outro lado, nomes de autores ou personagens fictícios às vezes são utilizados para designar doenças e fenômenos científicos (epônimos), como síndrome de Münchhausen ou de  Stendhal, alucinações lilliputianas (Jonathan Swift), síndrome do Sr. Pickwick (Charles Dickens) e doença do chapeleiro maluco (Lewis Carroll). Boa ciência e boa literatura não são incompatíveis, mas o oposto é verdadeiro. Nós postulamos que textos literários podem ser usados para o treinamento de habilidades profissionais, uma vez que tais recursos permitem o aperfeiçoamento dos relatórios técnicos e amplia a capacidade observacional em relação assim como preserva a empatia dos  profissionais aos sintomas de uma enfermidade, dos serviços de saúde em relação ao sofrimento humano.

Biografia do Autor

Rogerio F. Guerra, Professor-Titular e Editor da Revista de Universidade Federal de Santa Catarina Ciências Humanas. Endereço para correspondências: Universidade Federal de Santa Catarina, Departamento de Psicologia, Campus Universitário, Florianópolis, SC, 88040-970

Professor Rogério F. Guerra                       
Posição acadêmica: Professor titular
Data e local de nascimento: Em 06/11/54, Espera Feliz/ MG. Graduação Curso: Psicologia  Instituição: Universidade Gama Filho/ RJ  Ano: 1979 
Pós-Graduação  Nível: Doutorado  Instituição: Universidade de São Paulo/ SP Ano: 1985  Título da tese: Variáveis "Ecológicas" no Comportamento de Armazenar Material de Ninho em Hamster Dourado (Mesocricetus arautus)

Downloads

Publicado

2010-04-24

Edição

Seção

Artigos