A criança amada e odiada: uma análise do status controverso

Bruna Camillo Bonassi, Mauro Luis Vieira, Ana Maria X. Faraco, Kenneth H Rubin

Resumo


A presente pesquisa objetiva: (a) caracterizar o status controverso em crianças diferenciando-o dos demais status e (b) relacionar este status social à percepção da criança sobre suas relações com amigos e pais e à percepção dos professores sobre a criança controversa.  Participaram do estudo 157 crianças (75 meninas) do quinto ano do ensino fundamental, provenientes de duas escolas públicas e seis de seus professores. Os dados analisados derivaram de dois instrumentos preenchidos pelos respondentes. Resultados das análises indicaram que 10,2% da amostra era composta por crianças controversas e avaliadas por seus pares como altamente aceitas e altamente rejeitadas e, por seus professores, como crianças de baixo retraimento social e alta autonomia. As crianças controversas que se percebiam alvo dos cuidados maternos também relataram maior intimidade com suas mães.  Esses e outros resultados são discutidos considerando-se a qualidade dos relacionamentos sociais e do bem estar psicológico da criança identificada como controversa.


Palavras-chave


Criança controversa; Status sociométrico; Aceitação; Rejeição

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5007/2178-4582.2013v47n1p4

Direitos autorais 2014 Bruna Camillo Bonassi, Mauro Luis Vieira, Ana Maria X. Faraco, Kenneth H Rubin

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

R. Ci. Hum. Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil, ISSNe 2178-4582

Creative Commons License Todo o conteúdo do periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons

 

.