A intolerância de sempre e a de hoje: uma leitura psicanalítica

Autores

  • Pedro Luiz Ribeiro de Santi Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM), São Paulo/SP

DOI:

https://doi.org/10.5007/2178-4582.2017v51n1p158

Resumo

Neste artigo, analiso as raízes da intolerância de uma perspectiva psicanalítica e as formas que ela tem tomado em nossa vida política nos últimos anos. Em primeiro lugar, exponho uma concepção sobre a relação entre a intolerância e a formação do Eu para,  então, compreender as mudanças sobre o que é ou não tolerável em diferentes contextos. Em seguida, passo a uma análise das condições psicossociais para a tolerância ao outro, desenvolvendo o argumento de que uma falha da intermediação simbólica é um fator importante nas formas  contemporâneas da intolerância. Ante a esta falha, as relações com ideias e pessoas permanecem presas no imaginário e a capacidade de reflexão é inibida, como num fetiche. Concluo que é na instituição de uma intermediação simbólica entre o Eu e o Outro que pode haver uma condição de convivência mais tolerante.  

Biografia do Autor

Pedro Luiz Ribeiro de Santi, Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM), São Paulo/SP

Psicanalista. Possui graduação em Psicologia pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1987), mestrado em Filosofia pela Universidade de São Paulo (1995) e doutorado em Psicologia (Psicologia Clínica) pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2000). Atualmente é professor titular e líder da área de Humanidades e Direito da ESPM e professor da Especialização em Teoria Psicanalítica da COGEAE/Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Tem experiência na área de Psicologia, com ênfase em Intervenção Terapêutica, atuando principalmente nos seguintes temas: psicanálise, Freud, modernidade, subjetividade, narcisismo e consumo.

Referências

CORTAT, Ana Paula. Antes, podia. Revista Meio & mensagem, 03/11/2015: Disponível em: <http://www.meioemensagem.com.br/home/comunicacao/ponto_de_vista/2015/11/Antes--podia.html.> Acesso em março de 2016.

ENRIQUEZ, Eugene. Da horda ao estado. Rio de Janeiro: Zahar, 1990. 404 p.

FREUD, Sigmund. Obras completas de Sigmund Freud, V. 15: Psicologia de massas e análise do eu e Outros textos (1920-1923). Trad. Paulo Cesar de Souza. São Paulo: CIA das Letras, 2011.

FREUD, Sigmund. Neurose e psicose (1924). In: Obras completas de Sigmund Freud, v. 16: O Eu e o Id, Autobiografia e Outros Textos (1923-1925) Trad. Paulo Cesar de Souza. São Paulo: Companhia das Letras, 2011, p. 176-183.

_____. O fetichismo (1927). In: Obras completas de Sigmund Freud, V. 17: Inibição, sin-toma e angústia, O futuro de uma ilusão e outros textos (1926-1929). Trad. Paulo Cesar de Souza. São Paulo: Companhia das Letras, 2014, p. 302-310.

_____. O mal-estar na civilização (1931). In: Obras completas de Sigmund Freud, v. 18: O mal-estar na civilização e Outros textos (1930-1936). Trad. Paulo Cesar de Souza. São Paulo: Companhia das Letras, 2010, p. 13-12

KLEIN, Melanie. Amor culpa e reparação. E outros trabalhos (1921-1945). Rio de Janei-ro: Imago, 1996. 504 p. (As Obras Completas de Melanie Klein, v. 1)

_____. Notas sobre alguns mecanismos esquizóides. In: As Obras Completas de Melanie Klein, v. 3, Inveja e gratidão. E outros trabalhos (1946-1963). Trad. da 4a. ed. inglesa; Elias Mallet da Rocha, Liana Pinto Chaves (Coord.) e colaboradores. Rio de Janeiro: Ima-go, 1991, p. 17-43.

LASCH, Christopher. A cultura do narcisismo. A vida americana numa era de esperanças em declínio. Trad. Ernani Pavaneli. Rio de Janeiro: Imago, 1982.

SUNSET BOULEVARD., Direção: Billy Wilder. Produção: Charles Brackett. Paramount Pictures (110 min.), EUA, 10 ago. 1950.

OZ, Amós. Como curar um fanático. São Paulo: Companhia das Letras, 2015. 104 p.

SANTI, Pedro Luiz Ribeiro de. A paranóia como crise da autoridade: Ou, não é só porque você é paranóico que não tem ninguém lhe perseguindo. Psyche (Sao Paulo), São Paulo, v. 8, n. 14, p. 123-146, dez. 2004 . Disponível em <http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-11382004000200008&lng=pt&nrm=iso> . Acesso em: 12 set. 2016.

_____. Consumo e desejo na cultura do narcisismo. Comunicação, Mídia e Consumo, São São Paulo, v. 2, n.5, p. 173-204, nov. 2005. Disponível em: <http://revistacmc.espm.br/index.php/revistacmc/article/view/52/53> Acesso em: 12 set. 2016.

_____. Desejo e adição nas relações de consumo. São Paulo: Zagodoni Editora, 2011. 144p.

Downloads

Publicado

2017-11-16

Edição

Seção

Artigos