A (não)cidadania em um serviço de assistência social

Autores

  • Tayná Portilho do Prado Universidade Federal de Uberlandia
  • Bruna Morais Miranda Universidade Federal de Uberlândia
  • Eliane Regina Pereira Universidade Federal de Uberlândia

DOI:

https://doi.org/10.5007/2178-4582.2017v51n2p369

Palavras-chave:

Cidadania, Centro de Referência de Assistência Social (CRAS), Psicologia, Grupo

Resumo

Este artigo objetiva discutir sobre a condição de (não) cidadania, investigando como o Estado lida com a exclusão e a marginalização dos não cidadãos através das políticas públicas.  O trabalho foi desenvolvido a partir da experiência de Estágio em Clínica Ampliada na Clínica de Psicologia da Universidade Federal de Uberlândia em um Centro de Referência de Assistência Social (CRAS), com participação ativa na rotina do serviço acompanhada de supervisões e grupos de estudo. Como resultado, deparamo-nos com desafios e possibilidades de trabalho nesse espaço, sendo isso fortemente evidenciado no grupo realizado com moradoras de um assentamento que compunha o território, do qual relatamos uma cena. Através disso, concluímos que os não cidadãos vivenciam diversas formas de violências que marcam suas vidas e produzem sofrimento e o serviço acaba (re)produzindo ausência de cuidados e de ações efetivas para transformar o discurso da marginalidade socialmente atribuída à pobreza. 

Biografia do Autor

Tayná Portilho do Prado, Universidade Federal de Uberlandia

Tayná Portilho do Prado: Graduada em Psicologia pela Universidade Federal de Uberlândia (2013), e mestranda em Psicologia pela Universidade Federal de Uberlândia na linha de pesquisa Processos Psicossociais em Saúde e Educação (2016).

Bruna Morais Miranda, Universidade Federal de Uberlândia

Bruna Morais Miranda: Graduada em Psicologia pela Universidade Federal de Uberlândia (2014)

Eliane Regina Pereira, Universidade Federal de Uberlândia

Psicóloga pela Universidade do Vale do Itajaí (1995), com mestrado e doutorado em Psicologia pela Universidade Federal de Santa Catarina (2007, 2011). Atualmente é professora adjunto II, da Universidade Federal de Uberlândia, no Instituto de Psicologia, integrante do Núcleo de Psicologia Social e da Saúde e Docente do Programa de Pós-Graduação em Psicologia, na linha Processos Psicossociais em Educação e Saúde. É Diretora do Instituto de Psicologia (2015). Líder do grupo de pesquisa Psicologia, Saúde e Relações Estéticas (CNPQ). Atua na área da Psicologia da Saúde, com ênfase em Psicologia Social e nos Processos de Criação em contextos de saúde. Atua principalmente com os temas: constituição do sujeito, processos de criação potência de ação, oficinas estéticas, contextos de saúde, promoção e prevenção em saúde. Email: eliane@ufu.br

Referências

AFONSO, Maria Lucia Miranda et al. A Psicologia no Sistema Único de Assistência Social. Pesquisas e Práticas Psicossociais, São João Del-rei, v. 2, n. 7, p.189-199, julho/dezembro 2012. Semestral. Disponível em: <http://www.ufsj.edu.br/portal2-repositorio/File/revistalapip/Volume7_n2/Afonso,_Maria_Lucia_Miranda,_et_al.pdf>.Acesso em: 09 ago. 2016.

ALBUQUERQUE, Vivian de Melo. Programa Bolsa Família: análise crítica no contexto dos Programas de Garantia de Renda Mínima. 2007. TCC (Graduação) - Curso de Serviço Social, Escola de Serviço Social, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2007.

BRASIL. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Orientações técnicas: Centro de Referência de Assistência Social- CRAS. Brasília, 2009. 72p. Disponível em <http://www.mds.gov.br/webarquivos/publicacao/assistencia_social/Cadernos/orientacoes_CraC.pdf > Acesso em: 09 ago. 2016.

CAMARGO-BORGES, Celiane; MISHIMA, Silvana; MCNAMEE, Sheila. Da Autonomia à Responsabilidade Relacional: Explorando Novas Inteligibilidades para as Práticas de Saúde. Gerais: Revista Interinstitucional de Psicologia, v. 1, n. 1, p.08-19, jun. 2008. Disponível em: <https://www.taosinstitute.net/Websites/taos/files/Content/5694199/Camargo-Borges-08_From_Autonomy_to_Relational_Responsibility.pdf>. Acesso em: 09 ago. 2016.

CARLSON, Ana Cristina Romera; PINHEIRO, Lucilene de Souza. Prática intersetoriais: novos desafios postos aos psicólogos na atual política de assistência social. In: CRUZ, Lílian Rodrigues da; RODRIGUES, Luciana; GUARESCHI, Neuza M. F. (Org.). Interlocuções entre a Psicologia e a Política Nacional de Assistência Social. Santa Cruz do Su: Edunisc, 2013. p. 103-117. Disponível em: <http://www.unisc.br/portal/upload/com_editora_livro/

pdf>. Acesso em: 09 ago. 2016.

GALEANO, Eduardo. Livro dos Abraços. Porto Alegre: L&PM, 2016. 272 p. (Coleção L&PM; POCKET).

MACEDO, João Paulo; DIMENSTEIN, Magda. Psicologia e a produção do cuidado no campo do bem-estar social. Psicol. Soc., [s.l.], v. 21, n. 3, p.293-300, dez. 2009. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/psoc/v21n3/a02v21n3.pdf>. Acesso em: 09 ago. 2016.

MONNERAT, Giselle Lavinas et al. Do direito incondicional à condicionalidade do direito: as contrapartidas do Programa Bolsa Família. Ciênc. Saúde Coletiva, [s.l.], v. 12, n. 6, p.1453-1462, dez. 2007. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/csc/v12n6/v12n6a06.pdf>. Acesso em: 09 ago. 2016.

OLIVEIRA, Márcio Piñon de. Um conceito de cidadania para se trabalhar a cidade. Geographia, [s.i.], v. 1, n. 1, p.93-120, 1999. Disponível em: <http://www.uff.br/geographia/ojs/index.php/geographia/article/viewFile/10/8>. Acesso em: 09 ago. 2016.

SANTOS, Boaventura de Souza. A territorialização/desterritorialização da exclusão/inclusão social no processo de construção de uma cultura emancipatória. In: Seminário: “Estudos territoriais de desigualdades sociais”, 2001, São Paulo. Acervo online DPI/INPE. Disponível em: <http://www.dpi.inpe.br/geopro/exclusao/ Boaventura.pdf>. Acesso em: 09 ago. 2016.

SANTOS, Milton. O espaço do cidadão. São Paulo: Nobel, 1996. 176 p.

Downloads

Publicado

2017-12-22

Edição

Seção

Artigos