Minha mãe pintou meu pai de branco: afetos e negação da raça em famílias interraciais

Lia Vainer Schucman, Belinda Mandelbaum, Felipe Luis Fachim

Resumo


Este artigo tem como objetivo central descrever as formas pelas quais o negro, a história negra e a ancestralidade negra têm sido negadas no discurso das famílias inter-raciais e suas dinâmicas de interação familiar. Para esta compreensão apresentamos o estudo de caso de duas famílias com o intuito de pensar qual o lugar da raça nestas dinâmicas. Os resultados obtidos nesta pesquisa apontaram que o mecanismo psicossocial de negação é uma das diversas formas de negociar os conflitos e tensões raciais que se enunciam no interior destas famílias.

Palavras-chave


Racismo; Negação; Famílias Interraciais; Raça; Branquitude

Texto completo:

PDFA

Referências


Barros Z. S. Casais inter-raciais e suas representações acerca de raça [dissertação]. Salvador: Universidade Federal da Bahia, Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas; 2003.

Bento M. A. Branqueamento e branquitude no Brasil. In: Bento M. A. , Carone I. , organizadores. Psicologia social do racismo. 3. ed. Petrópolis: Vozes; 2007. p. 25-55.

Carone I. Breve histórico de uma pesquisa psicossocial sobre a questão racial brasileira. In: Carone I., Bento M. A., Organizadores. Psicologia social do racismo. 3. ed. Petrópolis: Vozes; 2007. p. 13-24.

Costa J. F. Da cor ao corpo: a violência do racismo. In: Souza N. Tornar-se negro: as vicissitudes da identidade do negro brasileiro em ascensão social. Rio de Janeiro: Graal; 1983.

D’Adesky, J. Pluralismo étnico e multiculturalismo: racismos e anti-racismos no Brasil. Rio de Janeiro: Pallas, 2001.

Freud S. A negativa, Ed. Standard Brasileira das Obras Psicológicas Completas, Vol. XIX, Rio de Janeiro, Imago, p. 293-300, 1976.

Guimarães A. S. A. Racismo e anti-racismo no Brasil. Rio de Janeiro: Ed. 34; 1999.

Hasenbalg C. Discriminação e desigualdades raciais no Brasil. Rio de Janeiro: Graal; 1979.

Hordge-Freeman, E. The Color of Love Racial Features, Stigma, and Socialization in Black Brazilian Families, 2015.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo demográfico. Rio de Janeiro: IBGE; 1991. Disponível em [acesso em 29 de maio de 2015]: http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/censodem/default_censo1991.shtm.

Mandelbaum 7 B. Psicanálise da família. São Paulo: Casa do Psicólogo; 2008.

Moutinho, L. Razão, cor e desejo. Editora da UNESP, São Paulo, 2004.

Sansone, L. Pai Preto, Filho Negro. Trabalho, Cor e Diferença de Geração. Estudos Afro-Asiáticos, nº 25, pp. 73-98, 1993.

Schucman L. V. Entre o “encardido”, o “branco” e o “branquíssimo”: raça, hierarquia e poder na construção da branquitude paulistana [tese]. São Paulo: Universidade de São Paulo, Instituto de Psicologia; 2012.

Twine, F. W Racism in a Racial Democracy. Rut




DOI: https://doi.org/10.5007/2178-4582.2017v51n2p439

Direitos autorais 2017 Lia Vainer Schucman, Belinda Mandelbaum, Felipe Fachim

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

R. Ci. Hum. Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil, ISSNe 2178-4582

Creative Commons License Todo o conteúdo do periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons

 

.