Narrativas avaliativas como categorias autopoiéticas do conhecimento

Autores

  • Margarete Axt Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS
  • Cleci Maraschin Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS

DOI:

https://doi.org/10.5007/%25x

Palavras-chave:

Educação distância, Avaliação, Cognição e subjetividade, Auto-organização e autopoiese.

Resumo

Este estudo foi realizado com o objetivo de avaliar um Curso de Especia-lização na modalidade Educação a Distância via telemitica oferecido pelo Laboratório de Estudos Cognitivos (LEc/oEA) (Brasil) a professores da Costa Rica (Fundação Ornar Deng& OEA). Um dos aspectos considerados para a avaliação deste modelo de curso foi o relativo auto-avaliação dos participantes sobre seu próprio desempenho, enquanto associada à sua avaliação da metodologia interativa e a da utilização da telemitica como ambiente privilegiado para a aprendizagem. A análise dessas narrativas avaliativas levou identificação de duas categorias analíticas operativas: uma referente à construção de conhecimento na rede e a outra vinculada
ao processo de constituição das relações interindividuais à distância. Os resultados, interpretados à luz de teorias sob o paradigma da auto organização e da autopoiese, evidenciam uma relação de solidariedade radical entre as duas instâncias de ser/agir do sujeito quando mediadas
por uma escrita de autoria que visibiliza pensamento e emoção.

Biografia do Autor

Margarete Axt, Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS

Possui Graduação em Letras pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1969), Mestrado em Letras pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1982) e Doutorado em Lingüística e Letras pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (1994). Atualmente é Professora Titular da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, com atuação nos Programas de Pós-Graduação em Educação (PPGEdu) e em Informática na Educação (PPGIE). Coordena o Laboratório de Estudos em Linguagem, Interação e Cognição (LELIC), registrado no diretório de grupos de pesquisa do CNPq, buscando possibilidades de interlocução da educação com os estudos em filosofia da linguagem e filosofia da diferença, nas interfaces com a psicologia (social e cognitiva). Atualmente orienta mestrado e doutorado no âmbito de dois projetos em andamento (CIVITAS e PROVIA), na interface pesquisa-extensão, com as temáticas: formação docente continuada em serviço (ensino fundamental/anos iniciais); processos de subjetivação na perspectiva da invenção e criação, produção de sentido e autoria; tecnologias na educação, incluindo EAD. É coordenadora de um projeto de pesquisa em cooperação internacional Brasil-Moçambique, no âmbito do edital Pró-África/CNPq. Tem recebido apoio à pesquisa e à extensão do CNPq, FINEP, MEC, FAPERGS, UFRGS. É consultora ad hoc do CNPq e da CAPES, desde 1999. Participou da Comissão de Avaliação da Câmara de Ciências e Humanidades da Área Interdisciplinar da CAPES, no período 2003-2011, tendo exercido a função de presidente dessa mesma câmara no período de 2007-2011. Certificado pelo autor em 11/03/12

Cleci Maraschin, Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS

Realizei minha formação acadêmica na Universidade Federal do Rio Grande do Sul/UFRGS. Em 1982 finalizei o Curso de Graduação em Psicologia e, em 1992, o Curso de Licenciatura em Psicologia. O Mestrado e o Doutorado em Educação foram concluídos respectivamente em 1987 e em 1995. Em 1991 ingressei como professora no Departamento de Psicologia Social e Institucional da UFGS e, em 1997, nos Programas de Pós-graduação em Psicologia Social e Institucional e em Informática na Educação, nos quais sou docente e orientadora. Fui editora da Revista Psicologia e Sociedade da Associação Brasileira de Psicologia Social de 2002 até 2007. Exerci o cargo de Diretora do Instituto de Psicologia da UFRGS de 2006 até 2010. No ano de 2011 realizei um Pos-doutoramento na Universidade de Wisconsin-Madison/EUA. Desde meu mestrado, venho desenvolvendo estudos e pesquisas tomando como temática central os efeitos nas tecnologias da informação e da comunicação (TIC) nas áreas da educação e da saúde na perspectiva da Psicologia Social. Certificado pelo autor em 06/03/12

Downloads

Publicado

1999-01-01