Prédios escolares: representações sociais das escolas

Autores

  • Luís Carlos Sales Universidade Federal do Piauí

DOI:

https://doi.org/10.5007/%25x

Palavras-chave:

Educação, Representações sociais, Arquitetura e semiótica

Resumo

Este trabalho faz uma análise das leituras que o prédio escolar, como signo arquitetônico e produto de representações sociais, suscita nos grupos sociais. Especificamente, estuda a influência que o prédio escolar exerce no julgamento que a sociedade faz sobre a qualidade de ensino da escola. Para dar conta desse objeto, recorreu-se à teoria das representações sociais de Moscovici, à teoria do capital simbólico de Bourdieu e à semiótica de Peirce. A metodologia apoiou-se em recursos iconográficos, através de estimulos visuais, materializados em fotografias de escolas de Teresina e Natal. Foram criadas situações-problema, envolvendo tais fotos. Os procedimentos analíticos utilizados foram: análise multivariada, análise de freqüências e análise de conteado. Concluiu-se que o prédio escolar exerce influencia no julgamento que a sociedade faz sobre o nível de ensino das escolas, desempenhando as representações sociais um papel importante no processo de legitimação da instituição de ensino que o prédio escolar encerra.

Biografia do Autor

Luís Carlos Sales, Universidade Federal do Piauí

Possui Graduação em Engenharia Civil pela Universidade Federal do Piauí, Mestrado em Educação pela Universidade Federal do Piauí e Doutorado em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Atualmente é professor associado da Universidade Federal do Piauí.

Mais informações no Currículo Lattes.

Downloads

Publicado

2000-01-01